Em abril, bananas mil

Pode ter parecido caricato, mas o gesto de Mourinho oferecendo uma banana a Rojo deveria, no mínimo, obrigar os mandantes do futebol britânico a refletir seriamente na forma como ordenam o calendário das equipas da Premier. E, já agora, deveria impedir os comentadores, alguns deles ex-futebolistas e por conseguinte gente ‘informada’, de atirarem disparates.

Olhemos para o calendário que o Man. United tem em abril: Dia 1 – WBA (casa); 4 – Everton (fora); 9 – Sunderland (fora); 13 – Anderlecht (fora); 16 – Chelsea (casa); 20 – Anderlecht (casa); 23 - Burnley (fora); 26 - City (fora); 30 – Swansea (casa). Ou seja, 9 jogos, dois dos quais para a Liga Europa, em apenas 30 dias. Ou seja, 1 jogo cada 3 dias, aproximadamente.

Ou seja, terão 19 dias de treino (ou melhor, de recuperação ativa) e, em princípio, só 2 dias de folga. Acrescente-se que pelo menos 3 destas partidas serão disputadas ou ao fim da manhã ou ao início da tarde. É obra!

Bem sei que são profissionais e dos mais bem pagos do Mundo, mas também sei que não são máquinas e, por isso, os tais mandantes deveriam pelo menos não prejudicar as equipas que se encontram nas provas da UEFA. Porque, a este ritmo, em abril, Mourinho terá necessidade de entregar muitas bananas aos seus jogadores. E ele próprio terá de comer algumas…

Quem também ficou ‘abananado’ com Jardim foi Guardiola. No final da 1.ª mão, o catalão despediu-se com um ‘goodbye português’, dando a eliminatória como encerrada. Jardim não se ficou e, no Mónaco, também se despediu de Pep, mas com um ‘goodbye espanhol’! O catalão comeu e calou.

21.03.2017
M M