Clube dos Pensadores

Joaquim Jorge

Joaquim Jorge

Fundador do Clube dos Pensadores
Joaquim Jorge

Um novo começo

Depois do que aconteceu há duas semanas, em que Cavani e Neymar discutiram para ver quem marcava o penálti, durante um jogo do campeonato contra o Lyon. Tudo parece mais calmo.

Toda a confusão criada à volta deste episódio extremamente empolado, chegando a ter, que ser mediado pelo presidente do PSG, Nasser Al-Khelaïfi, mais parecendo um assunto de Estado. Só faltou, Emmanuel Macron, presidente francês, receber os dois jogadores e dizer quem marcaria os livres e os penáltis.

No jogo, da Liga dos Campeões, contra o Bayern estava toda a gente expectante para ver como seria a relação dos dois jogadores, aquando da marcação das faltas. Dani Alves marcou o primeiro livre, depois foi Neymar e a seguir Cavani.

Tudo correu bem em que se revezaram na marcação de livres. Como não houve nenhum penálti, não houve problema nem tensão. Ainda por cima, fizeram uma excelente exibição e o PSG venceu o Bayern de Munique por um contundente 3-0.

O treinador Emery decidiu que as faltas seriam marcadas à vez. O episódio entre Cavani e Neymar tinha dado um rebuliço danado. O ano passado era Cavani a estrela maior pela saída de Ibrahimovic. Agora tem que dividir o estrelato com Neymar.

No jogo do campeonato francês o PSG deu uma goleada ao Girondins de Bordeaux por 6-2. Neymar marcou um golaço de livre a 25 metros e encarregou-se de marcar o penálti. Durante o jogo Neymar fez um passe a Cavani para marcar o seu golo.

A polémica, para já, acabou. Neymar depois de marcar o penálti abraçou Cavani. Esse gesto ao bom estilo brasileiro quis dizer, obrigado por me deixares marcar o penálti, sendo uma espécie de dedicatória a Cavani.

É importante que os jogadores do PSG se entendam, podem fazer uma época de sonho. Esta cena entre Neymar e Cavani, no Barcelona seria impensável. Neymar só marcaria o penálti com autorização de Messi.
Esperemos que seja um novo começo e que se entendam. A paz voltou ao balneário do PSG.
Cavani sentiu-se ferido no seu amor-próprio mas também marcou o seu terreno e tem direito a marcar livres e penáltis.

Esta cena foi tão infantil, caricata e desnecessária mas pode funcionar como um tónico de união entre todos.

O PSG este ano é um sério candidato a vencer muitas coisas e a medir-se de igual para igual com o Real Madrid, Barcelona ou Manchester United.

A sua vitória contundente sobre o Bayern de Munique já fez uma vítima chamada Carlo Ancelotti que foi despedido.

05.10.2017
M M