Record

Caderno de Apontamentos

Jorge Barbosa
Jorge Barbosa Editor chefe

A guerra não é minha

Foi terça-feira difundida publicamente a existência de um email, datado de 21 de março de 2017, alegadamente enviado por Carlos Janela ao presidente do SLB, Luís Filipe Vieira, no qual é proposta a criação de um blog e enviado um orçamento para aprovação, de onde consta, como "Custos com Pessoal", uma suposta "Rede de Colaboradores/Informadores" na qual se incluem as minhas iniciais e o jornal onde trabalho – Record Porto.

Carlos Janela, o presumível autor de tal email, em declarações prestadas ontem ao Record, referiu que o mesmo é "totalmente falso". Pela minha parte, desconheço se tal email é verdadeiro ou falso, se foi ou não enviado, e, bem assim, se, tendo-o sido, obteve ou não resposta por parte do destinatário ou o respetivo teor. Também ignoro se o blog em questão foi ou não criado, a identidade de quem nele tenha hipoteticamente colaborado e se algum dos jornalistas referidos no email foi efetivamente contactado e para que fim.

Sei simplesmente que nunca fui abordado, antes ou depois da data do email, por Carlos Janela ou por qualquer elemento do Benfica – clube com quem não tenho, nem nunca tive, aliás, nenhuma ligação – a respeito deste estranho assunto, ou aliás de qualquer outro, que minimamente extravasasse o rigoroso cumprimento das funções profissionais de jornalista, que venho exercendo há mais de 35 anos ao serviço de diversos órgãos de comunicação social.

Foi portanto com verdadeiro espanto que vi que a referência às minhas iniciais no email em questão – que inicialmente tomei como um grande disparate, ainda que apenas em forma de intenção – se transformou numa semi-calúnia, nomeadamente por parte do Porto Canal, no programa ‘Universo Porto da Bancada’, no qual, ora se tratou o assunto como uma mera suspeita, ora se assumiu como certo que a ideia eventualmente tida por Carlos Janela se concretizou efetivamente.

Jamais, na já longa carreira que exerço e que está prestes a terminar, foi posta em causa a minha honestidade, que não tem preço, nem estive envolvido em qualquer assunto menos claro, relativamente a que clube fosse, pelo que não admito que o meu bom-nome possa ser sujeito a duvidosas insinuações e utilizado para atingir objetivos a que sou completamente alheio, numa guerra que se instalou no futebol português e que venho acompanhando, mas que, de facto, não é minha.

Já decidi acionar judicialmente Carlos Janela no caso de o email ser verdadeiro ou, na hipótese de ter sido forjado, os autores desse ato.
Deixe o seu comentário
M M