Vitória para a história

O que o Vitória Sport Clube está a fazer na presente temporada é simplesmente notável e, de certa forma, dá razão a uma opinião que tenho desde há vários anos: num futuro próximo, se algum clube ganhar capacidade para desafiar os grandes na luta pelo título (o que duvido), acredito mais facilmente no Vitória para o fazer do que no Sp. Braga, por exemplo. O emblema de Guimarães tem aquilo que nenhum outro apresenta e que se revela decisivo: em termos de apoio, só não joga ‘em casa’ quando vai à Luz, ao Dragão, a Alvalade e a Braga. Nos restantes estádios os seus adeptos fazem-se ouvir sempre mais alto.

Na prática, este apoio para lá de Guimarães começou a aumentar de forma mais evidente na última década. Precisamente a partir do momento em que a equipa caiu na 2ª Liga (2006/07). E o facto de em Chaves os vimaranenses terem batido o recorde histórico de triunfos na condição de visitante (agora é de nove) não surgiu por acaso: por detrás da baliza só se via branco, só se ouvia Vitória no estádio. Curiosamente, o anterior máximo de oito vitórias tinha sido conseguido na época de 1995/96, aquela que exibe a pontuação mais alta do emblema na Liga, 62 pontos.

O ‘calcanhar de Aquiles’ da equipa de Pedro Martins foram/são os jogos em casa, o que não deixa de ser estranho. No ‘D. Afonso Henriques’, as três derrotas e os cinco empates já concedidos retiraram aos minhotos a possibilidade de lutar pelo pódio da Liga e com isso repetir a melhor classificação de sempre, o 3º lugar de 2007/08, 1997/98, 1986/87 e 1968/69. Houve um dado comum a estas temporadas: o aproveitamento nos desafios em Guimarães esteve sempre bem para lá dos 60 por cento, chegando a superar os 70 por cento. Este ano não chega sequer aos 43 por cento e na melhor das hipóteses ficará um pouco acima dos 50 (vencendo os três confrontos em falta).

Seja como for, a segunda melhor equipa da Liga 16/17 a ganhar e pontuar fora de casa (só superada pelo Benfica, com mais uma vitória e dois pontos) ainda está bem dentro da corrida por um lugar na história, que neste caso significaria igualar ou superar os 62 pontos. Faltam nove para lá chegar. Três triunfos.

20.04.2017
M M