Floresta de pernas

Leonor Pinhão

Leonor Pinhão

Jornalista
Leonor Pinhão

O maravilhoso silêncio

A venda de André Gomes ao Barcelona por uma fortuna cabendo ainda ao Benfica uma porção significativa dessa fortuna é, para já, a notícia maior deste mercado de verão que muito promete em encaixes para os lados da Luz. Entretanto a imprensa nacional e internacional vai-nos dando conta do interesse de grandes emblemas em muitos jogadores do quadro atual do Benfica. Estamos, portanto, naquele período do ano em que Domingos Soares de Oliveira sorri vendo entrar milhões às cabazadas pela porta e em que os adeptos se preocupam vendo sair pela mesma porta jogadores que foram fundamentais nas saborosas conquistas transatas. É a nossa vida na periferia da Europa do futebol.

Nestas ocasiões em que o capital fala mais alto é importante não ceder às urgências da tesouraria vincando com firmeza o valor das cláusulas estipuladas e, mais importante ainda, é conduzir todas as negociações em sintonia permanente com a ‘mercadoria’ de modo a evitar que permaneçam forçadamente no grupo uns quantos atletas que se sintam contrariados ou, pior ainda, que se sintam completamente enganados nos pressupostos com que rubricaram os seus acordos com o clube vendedor.

Pela serenidade que transparece não há crise de vontades nem disputas de egos neste mercado de verão no que ao Benfica diz respeito. Gaitán saiu em lágrimas e grato e, pelo que dizem os próprios, serão mais os jogadores que querem ficar do que os que querem sair. Assim é que é bonito. Para além de ser um sossego.

Por falar em bendito sossego, o Benfica tem um novo diretor de comunicação desde o início do mês e a sua atuação para o exterior tem-se pautado pela filosofia que já faz escola na Luz: o silêncio, o maravilhoso silêncio.

Dos árbitros que apitaram na Liga principal em 2015/2016 calhou a Cosme Machado ser o despromovido. "Não tem qualidade para estar na primeira divisão", já tinha anunciado Octávio Machado em janeiro deste ano. "E gostaria que nunca mais, mas nunca mais o nomeassem para jogos do Sporting", recomendou o mesmo Octávio Machado depois de o outro Machado, o árbitro, ter dirigido o Sporting-Académica do último campeonato.

Está, assim, o assunto definitivamente resolvido a contento de Alvalade. Aguarda-se agora e a todo o momento a entrevista do indignado árbitro bracarense a um qualquer jornal espanhol responsabilizando os tipos do outro lado da rua pelo que lhe aconteceu.

22.07.2016
M M