Primeira barreira

Norberto Santos

Norberto Santos

Redator Principal
Norberto Santos

Tempo de decisões

As próximas semanas serão decisivas para os clubes que estão envolvidos nas derradeiras jornadas para a discussão dos títulos de campeão nacional nas modalidades de pavilhão e, mais uma vez, cabe ao Benfica ter interferência direta, a par do FC Porto, embora o Sporting tenha uma importante palavra a dizer no andebol, à semelhança do que, aliás, aconteceu o ano passado.

Amanhã, na Luz, fica a saber-se quem será o sucessor da Fonte do Bastardo no voleibol. Benfica e Sp. Espinho mantiveram uma rivalidade acesa ao longo da temporada e neste quinto encontro a componente psicológica assume uma enorme importância. Os tigres estão motivados para recuperar um título que lhes foge desde 2012 e as águias pretendem retomar a hegemonia que tiveram durante três anos consecutivos (2013, 2014 e 2015). É um duelo que vale uma época (bastante curta com apenas oito meses de atividade) e que pode deixar feridas. A formação das equipas para 2017/2018 estará muito dependente dos resultados desta final. É uma pena que o voleibol nacional tenha perdido boa parte da expressão que teve na viragem do século, quando no campeonato jogavam alguns dos elementos que mais tarde fizeram uma brilhante carreira internacional.

O domínio do voleibol tem sido repartido por três emblemas – Sp. Espinho, Benfica e Fonte Bastardo – mas, curiosamente, na lista dos seis clubes com o maior número de títulos, três deles já não a praticam: Instituto Superior Técnico, FC Porto e Sporting. Um caso raro relativamente a outras modalidades.

11.05.2017
M M