O nosso website armazena cookies no seu equipamento que são utilizados para assegurar funcionalidades que lhe permitem uma melhor experiência de navegação e utilização. Ao prosseguir com a navegação está a consentir a sua utilização. Para saber mais sobre cookies ou para os desativar consulte a Politica de Cookies Cofina

Record

Assinatura Digital Premium Saiba mais

Saída de campo

Nuno Farinha
Nuno Farinha Diretor adjunto

O teste de Portimão

O jogo que o Benfica fará amanhã em Portimão funciona como mais um 'teste de stress' quando nos preparamos para entrar, agora sim, no ciclo decisivo. A última deslocação do campeão com um grau de exigência semelhante a este foi a Braga - onde acabou por vencer bem. Para não deixar pontos no Algarve, frente a uma das equipas mais interessantes da Liga, o Benfica terá de ser, pelo menos, tão forte quanto foi na Pedreira. Tudo o que seja rendimento abaixo desse nível pode ser insuficiente.

Há uma coisa em que Rui Vitória tem insistido desde que chegou aos encarnados: nunca se sabe onde se ganham ou perdem os pontos decisivos. E é mesmo assim. Vejam-se os últimos deslizes: o Benfica tropeçou no Restelo (frente ao atual 12.º), o FC Porto em Moreira de Cónegos (diante do 15.º) e o Sporting na Amoreira (com o 17.º). Parecia fácil, não era?

Mesmo sabendo que os calendários nunca são tão acessíveis nem complexos quanto aparentam, a verdade é que as águias ficam em boa posição caso vençam. Depois do Portimonense restam 12 jornadas, sendo que 7 se disputam na Luz. O clássico de 4.ª feira, no Dragão 'disse' que não há, por agora, nenhuma equipa mais forte do que o Benfica. O principal candidato ao título, porém, continua a ser o FC Porto. Dois pontos a mais e um jogo a menos, parecendo que não, é muita coisa.
2
Deixe o seu comentário
M M