Jonas: muito para lá dos golos

O golo e a assistência trouxeram-lhe a notoriedade. Porém, Jonas é bastante mais que o que surge em cada resumo, de cada partida.

Com um entendimento superior do que é o jogo e de que decisões tomar a cada momento em que toca a bola, Jonas é o centro de todo o jogar de uma equipa. Sim, a época vai longa e o SL Benfica foi sendo bem sucedido mesmo sem a participação do seu melhor jogador. Todavia, a presença de Jonas trouxe de imediato um melhor Benfica nos seus momentos ofensivos. E sendo melhor ofensivamente, torna-se também mais seguro defensivamente. Porque o jogo se liga. Porque tendo mais bola, defende menos, e porque perdendo-a com o jogo mais organizado, estará mais preparado para na transição defensiva anular os contra ataques adversários.

Mais do que qualquer outro na realidade nacional, Jonas percebe sempre quando deve pausar. Quando deve segurar, tocar atrás e permitir que a equipa se organize, ou quando deve investir porque reconhece o potencial e as probabilidades grandes da jogada ser bem sucedida.

Sem bola, sempre a mostrar-se nos espaços mais perigosos. Nas costas dos médios adversários, com linha de passe, vai receber e ficar somente com quatro adversários atrás da linha da bola. Qualidade a ligar as fases ofensivas pelo posicionamento, movimentação, inteligência e qualidade técnica.


Há os que não arriscam. Os que o fazem a cada instante, condenado posses atrás de posses, e há Jonas, que arrisca quando o jogo lhe pede. Segura, pausa e deixa respirar a equipa quando as probabilidades de chegar à meta de forma rápida são baixas.

E porque interpreta a um nível fenomenal o jogo, traz ao Benfica critério na sua organização ofensiva. Deixa a equipa de Rui Vitória de ser uma equipa "sôfrega". Aumenta o critério com que ataca. Perde menos bolas, expõe-se menos, e sobretudo descobre os melhores caminhos no seu momento ofensivo.

Ainda que tenha de crescer novamente nos índices físicos e coordenativos, está desde já apto a continuar a ser determinante na Liga portuguesa.

Pode ler mais artigos e análises de Pedro Bouças em www.lateralesquerdo.com.

09.01.2017
M M