As previsões de Rui Santos para a Liga 2016/17

O Benfica parte com o balanço do tetra, um factor sempre a considerar, porque as dinâmicas de vitória têm sempre enormes vantagens, mas é preciso olhar para o que aconteceu ao Benfica: perdeu três jogadores fundamentais (Ederson, Nélson Semedo e Lindelöf) e fez pouco, estranhamente, para compensar essas saídas.

O FC Porto encontrou no treinador (Sérgio Conceição) o seu principal reforço, que achou rapidamente o método, o ‘onze’ e as dinâmicas essenciais. É por isso a equipa que começa a época num registo mais consolidado.

O Sporting é um incógnita. Mais uma revolução, uma equipa com meia cara nova, prometedora em tese, mas ainda com muitas interrogações.

A revelação já é conhecida: a figura do VAR (videoárbitro). E se todos gostaríamos que 2017-18 correspondesse a uma época mais tranquila, com o foco a ser colocado no jogo e nos jogadores, é fácil de prever que — mais uma vez — não vai ser assim.

Os protagonistas vão ser os departamentos de comunicação e os seus algozes.

04.08.2017
M M