Futebol e não só

Longe de ser decisivo, o clássico da próxima sexta-feira deveria ser olhado apenas pelas consequências que terá na classificação da Liga NOS e nos efeitos secundários que deixará a cada uma das equipas. Mas haverá muito mais em jogo do que isso.

Acima de tudo, o resultado do clássico irá também significar uma vitória e uma derrota para estratégias de comunicação. FC Porto e Benfica têm jogado de forma agressiva, muitas vezes a passar as marcas, nos vários tabuleiros mediáticos, procurando influenciar a opinião pública, em especial a dos próprios adeptos. Mas, no futebol, tudo se resume a uma coisa: ganhar dentro de campo. E será óbvio que o clube vencedor dentro de campo acabe também para si uma vitória das direções de comunicação.

A comunicação não ganha jogos, mas subestimar o poder das palavras (e das imagens e... dos vídeos) numa indústria em que todos os detalhes contam é pouco inteligente. Uma boa comunicação pode influenciar de forma positiva uma equipa, uma má pode arrastá-la para maus resultados. Quem não acreditar nisto que olhe para o exemplo da primeira temporada de Jorge Jesus no Sporting, perdida muito por culpa das línguas soltas do treinador e do presidente.

Na sexta-feira irei ver o jogo, tentar desfrutar da qualidade dos craques e tentar perceber as opiniões dos treinadores. Possivelmente, será o mesmo que todos os adeptos de futebol farão em Portugal. No sábado, será outro dia. E não será necessariamente um dia melhor.

28.11.2017
M M