Bloco baixo

Sérgio Krithinas

Sérgio Krithinas

Editor
Sérgio Krithinas

O clássico mais importante

O clássico desta quarta-feira irá ser o primeiro de quatro entre Sporting e FC Porto, as duas melhores equipas da temporada até agora em Portugal. Os três primeiros, num período de pouco mais de um mês, poderão ser definidores das contas. O da Taça CTT, a competição menos prioritária para Jesus e Conceição, ganha relevância por ser o primeiro - e, dos dois lados, haverá vontade de aplicar um golpe que deixe o rival a cambalear.

Depois, virá o duelo da primeira mão da Taça de Portugal - que, por não ser decisivo, é seguramente aquele que terá menos pressão - e o do campeonato. Esse sim, marcado para 2 de março, com o Benfica como parte interessada, será o jogo que ninguém quererá perder. Porque Sporting e FC Porto têm, como é obrigação de qualquer grande em Portugal, olhos colocados na Liga - esse será o peso decisivo na balança de 2017/18. A menos, claro, que haja uma vitória europeia.

Quando esse clássico se disputar, a Liga já deverá ter as contas certas. A segunda parte do Estoril-FC Porto estará jogada e saberemos o resultado final. Para trás ficam dúvidas, algumas que nem o relatório do LNEC dissipou. Aqueles 3 mil adeptos estiveram, de alguma forma, em risco, por mínimo que fosse? Quem, ao fim de meia-hora de interrupção e sem certezas, achou seguro mandar as pessoas de volta para os seus lugares? Quem foi o responsável (ou deve ser responsabilizado) pela interrupção de um jogo a meio? Temos a certeza de que não haverá mais jogos interrompidos por problemas (verdadeiros ou não) deste tipo?

23.01.2018
M M