Bancada de sócios

O mercado de transferências e os maus resultados do Sporting são os temas em análise.

1. A aposta do Benfica na formação não deve ser mais duradoira ou a venda de Gonçalo Guedes, a meio do campeonato, é um ato de boa gestão?

2. Apesar da confiança renovada por Bruno de Carvalho, deve Jesus demitir-se caso o Sporting não consiga inverter o ciclo de maus resultados, designadamente se o 2º lugar ficar cada vez mais longe?

3. Soares é o par ideal para André Silva ou neste momento o reforço que vem de Guimarães não tem lugar como titular da equipa de Nuno Espírito Santo?


Leonor Pinhão (Benfica)

Outros janeiros

A aposta do Benfica na formação é duradoira porque já dura há alguns anos e demonstra capacidades para durar muito mais e esta é, sem dúvida, uma excelente prática de gestão como se tem vindo a provar. A eventual venda de Gonçalo Guedes a meio do campeonato responde à necessidade de ‘cash’, o que é muito respeitável. Em termos desportivos deseja-se que a equipa não se ressinta desta baixa como não se ressentiu com as saídas de Matic e de Enzo Pérez noutros janeiros.

Compromisso total

Jorge Jesus já foi bastante claro sobre esse assunto quando disse, na semana passada, que nunca quebrou um projeto. Ficou, assim, claro que o treinador não se demitirá das suas funções em circunstância alguma. Jesus respondeu muito inteligentemente ao voto de confiança que recebeu autorizando a inclusão do seu nome na lista de apoiantes do presidente-candidato em exercício pelo que jamais poderá ser acusado de ‘deslealdade’ com a entidade patronal ou de ‘falta de compromisso’.

Questão de peso

Soares é um excelente jogador. Tem espírito de luta para dar e vender e, sendo um avançado, até marca golos com frequência o que, por vezes, não é muito comum para um avançado que joga no campeonato português e não pertence a nenhum dos ditos clubes grandes. A dúvida sobre o que será o percurso de Soares ao serviço do FC Porto é, justamente, a de se saber se o peso da camisola do FC Porto comparado com o peso da camisola do Vitória de Guimarães não lhe tolherá a ação e o talento.


Rui Calafate (Sporting)

Transparente?

A venda de um jogador do campeonato português por 30 milhões é sempre um bom negócio, qualquer que seja o clube, pois os mesmos têm na venda dos seus ativos uma das poucas formas de apresentarem contas positivas. Nenhum clube português está bem financeiramente, por isso, é natural que se venda rapidamente quem tem mercado. Ainda falta saber é, se vai ser mesmo vendido, se sai para um dos satélites do Jorge Mendes e se a venda é transparente.

Renovar confiança

Jorge Jesus tem um contrato de longa duração e o projeto desportivo do Sporting está assente nas suas capacidades e liderança. Não me parece que, mesmo com maus resultados, o treinador apresente a sua demissão. Eu gosto de Jesus, considero-o um grande treinador, com moderação nas compras e com a integração de mais jovens até ao fim da época, tem todas as condições para que lhe possamos renovar a confiança para a preparação da próxima época. Mas depois disso, não terá mais margem de erro.

Bicho de combate

Soares já tinha brilhado no Nacional e explodiu este ano no Vitória de Guimarães sob a batuta do Pedro Martins. É um ‘bicho de combate’, dará poder físico ao ataque do Porto e tem condições para ser parelha de André Silva, desviando Diogo Jota mais para as alas. Ainda na semana passada, Record perguntava sobre a necessidade de um ponta-de-lança no Dragão, eu respondi que era a principal lacuna. Julgo que a mesma será bem colmatada por Soares.


Nuno Encarnação (FC Porto)

Dura realidade

O Benfica não vive nenhum desafogo financeiro. Aliás, deve estar a passar por momentos urgentes de reajuste, uma vez que efetuou compras caras, fazendo ainda subir em muito a sua massa salarial. O que temos visto é o próprio Luís Filipe Vieira com a mala na mão (qual caixeiro viajante) a tentar vender todo o plantel. Primeiro era Lindelöf, depois Luisão, passando por Carrillo e acabando em Guedes. É esta a dura realidade da Luz. As ‘luzes’ também se apagam....

Não sugar o clube

Era feio demais terminar a carreira assim, sugando o clube até ao último cêntimo. Um treinador com o seu ordenado tem de, no mínimo, acabar todos os campeonatos 1.º lugar, chegar todos os anos aos quartos-de-final da Champions e lutar por todas as outras competições. Se Jesus voltar a falir este ano (como se advinha), deve sair pelo seu pé para não agravar mais a crise financeira do Sporting. Esta seria a atitude correta para quem integra Comissões de Honra. A honra não pode ser feita só de comissões.

Obrigatório no onze

Se o Porto validar a contratação de Soares, é sinal que este terá de entrar todas as semanas em campo a par de André Silva. É óbvio que o Porto terá de mudar o seu sistema de jogo, nunca abdicando da velocidade de Diogo Jota, nem da criatividade de Ólivier ou Otávio. O Porto precisa de poder de fogo, de concretização e de golo à primeira. Tudo o que venha a colmatar esta falha, será bem-vindo. Soares é fixe mas prefiro que Soares seja golo. O reforço há de aparecer, o Porto continuará a vencer.




23.01.2017
M M