Três anos depois, a selecção nacional de Ténis de Mesa repetiu a presença na final do Campeonato da Europa da modalidade, e de novo frente à sua congénere da Alemanha, onde em 27 de Setembro de 2014, em Lisboa, se tinha sagrado pela primeira vez campeã da Europa da modalidade. Mas no domingo defrontou, de novo, a Alemanha, tendo perdido por 0-3, tendo assim alcançado a honrosa medalha de prata, o que não deixa de ser motivo de orgulho para as cores das Quinas e da própria modalidade.

Efectivamente, numa modalidade praticamente amadora em Portugal, como é o Ténis de Mesa, é motivo de apreço e de grande orgulho para toda a representação portuguesa, em especial dos nossos atletas, terem estado presentes em duas finais do Campeonatos da Europa e terem erguido a bandeira das quinas, ao mais alto mastro.

Mais uma vez, fica provado que temos campeões, não só no futebol como no atletismo, hóquei em patins (seniores masculinos, onde fomos finalistas vencidos, diante da Espanha, no último campeonato do Mundo, como na mesma modalidade a selecção nacional se sagrou campeã do Mundo de Sub-20) ou na canoagem (através de Fernando Pimenta, no campeonato realizado em Racice, na República Checa, no passado dia 27 de Agosto de 2017, em K1 5.000 metros, um dia depois de ter conquistado a medalha de prata em K1 1.000.)

As entidades oficiais têm que dar mais apoio a estas modalidades, sejam elas amadoras ou profissionais. Assim o desporto português está de parabéns.


Autores: Mário da Silva Jesus/reformado/64 anos