Gabriel Jesus tem tido uma entrada fulgurante na Premier League, com golos (12 remates certeiros em 17 jogos) e várias assistências, e principalmente mostrando que tanto pode partilhar a frente de ataque com Agüero como pode atuar sozinho no ataque dos citizens ou alternativa ao galardoado avançado argentino.

O jovem brasileiro não acusou a diferença de ritmo entre o futebol brasileiro e o inglês e tem feito aquilo que lhe vem no sangue: golos. Com faro de golo, tecnicamente evoluído, rápido, forte no jogo aéreo e uma forte presença na área mostrando que é um ponta-de-lança já muito maturado apesar dos seus 20 anos. Se mantiver o ritmo goleador, Gabriel Jesus será uma das armas a ter em conta por Tite para o Mundial'2018 e ser número 9 que o Brasil tanto busca depois de Ronaldo, Adriano ou Fred.

Com Aguero a jogar mais "por fora" a procura espaços exteriores, a cair nas alas, a vir atrás buscar a bola, Gabriel Jesus é o homem que prende os centrais atrás, o homem do último toque, um 9 clínico que vive do golo e que joga sempre no limite do fora-de-jogo, colando sempre no último central, para explorar a profundidade tão característica da Premier League.



Com Ederson na baliza e a sua facilidade de colocar a bola na profundidade com o seu pontapé e com Gabriel Jesus a jogar no limite, Guardiola estica a equipa e ganha alternativas ao seu jogo de posse, de controlo do jogo, de jogar dentro do quadrado, que muitas vezes aprisiona a equipa dentro das linhas adversárias.

Gabriel Jesus, o furacão de Guardiola que promete continuar a fazer miséria nos relvados ingleses e nas competições europeias.


Autores: Rui Castro, 27 anos, Team Manager