Comandante Sérgio

Se alguma dúvida houvesse relativamente à capacidade de liderança de Sérgio Conceição, essa ficou dissipada com a conferência de imprensa de antevisão do jogo frente ao Lusitano de Évora. O técnico dos dragões foi frontal e não recuou um milímetro que fosse relativamente ao que transmitiu interna e externamente nas últimas semanas. Sérgio quer ser campeão, não lhe basta competir nem fazer do Dragão a sua fortaleza.

Um verdadeiro comandante. Assume os objetivos da equipa, não esconde que o plantel é escasso em termos quantitativos, que gostaria de ter reforços no mercado de inverno, nem hesita em dar oportunidades a toda a gente no plantel. Foi assim que conquistou a admiração dos jogadores e o respeito dos adeptos. As vitórias e a liderança no campeonato são exemplos de uma capacidade inata para lutar e caminhar com os olhos postos na meta.

Sérgio Conceição sabe que o caminho é longo e que os obstáculos são constantes, mas quando a primeira derrota surgiu não se escondeu nem apontou o dedo aos jogadores. Assumiu os erros, teve a humildade de os corrigir e a equipa cresceu a partir daí. Frente ao Besiktas, o FC Porto só perdeu três pontos. O que ganhou foi muito mais. Venceu de forma categórica no Mónaco, empatou em Alvalade com uma grande exibição e deixou os rivais em sentido. O dragão está forte e a mensagem que passa para o exterior é clara. Este FC Porto quer mesmo ser campeão.

Para fechar, não poderia deixar de realçar o elogio feito por Sérgio Conceição à imprensa portuguesa, a qual considerou estar "muito acima" da italiana. Tudo por causa da eventual "adulteração" de algumas passagens da sua entrevista à 'Gazzetta dello Sport'. A frontalidade que se impõe...

12.10.2017
M M