Fary: «Troquei o Benfica pela minha paixão ao Boavista»

Vínculo emocional às camisolas aos quadrados nasceu no Senegal, antes de saber como se chamava o clube do Bessa

• Foto: Vítor Chi

R – Como é que o Boavista entra na sua história ao fim de cinco anos em Aveiro?

F – Insistiram muito no final de 2002/03, época em que fui o melhor marcador do campeonato, mas antes de chegar ao Bessa tive um pré-contrato com o Benfica.

R – Preferiu o Bessa à Luz?

F – Tinha muitas coisas apalavradas com o Benfica, mas mandaram-me esperar e as coisas mudaram também por causa do meu coração, porque, ainda antes de ter chegado a Portugal ou conhecer o nome Boavista, eu já me tinha apaixonado pelas camisolas do clube.

R – Na altura estava ciente da dimensão dos dois clubes?

F – O Benfica é enorme, sem dúvida nenhuma, mas naquele tempo o Boavista estava, desportivamente, ao mesmo nível. Tinha sido campeão nacional, estava na Champions League com regularidade e eu quis jogar no Boavista. Troquei o Benfica pela minha paixão ao Boavista. Toda a gente me disse que era maluco ao trocar o Boavista pelo Benfica, mas não me arrependo minimamente. Não há dinheiro que pague tudo o que recebi no Boavista.

Por Pedro Malacó
1
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Conversas de sofá

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0