R: Sábado defronta na final da Taça o Chelsea de Conte.

JM – Está tudo bem, está tudo bem.

R: Mas não esteve…

JM – Ele esticou-se, eu estiquei-me, chateámo-nos. Depois do jogo aqui em Manchester, convidei-o para vir ao meu gabinete. Conversámos, não se passa nada.

R: Quem vai suceder a Rui Faria. Um treinador português?

JM – Não. Vem uma pessoa que trabalhou comigo anteriormente mas que não posso dizer o nome pois ainda está vinculada a outro clube. O Michael Carrick passa a treinador de campo mas estou à procura de duas pessoas novas na equipa. Bons treinadores há muitos, mas eu gosto de fazer os meus adjuntos. Não gosto de treinadores feitos, gosto de moldá-los à minha forma de pensar e que cresçam comigo e eu também cresça com eles.

Autores: António Magalhães e João Ferreira