A dolorosa vida dos atletas suecos

Treino obsessivo levou a lesões graves

• Foto: EPA

Carolina Klüft, Christian Olsson e Susanna Kallur são nomes lendários do atletismo da Suécia. Beneficiaram de um programa de fundos governamentais com o intuito de formar medalhas de ouro. E conseguiram. Brilharam em Mundiais e Olimpíadas na última década, mas todos abandonaram as carreiras de forma prematura devido a um acumular de lesões graves. As suas histórias são contadas no documentário ‘The price of gold’, de 2012, que mostra a forma obsessiva como estes atletas se treinavam.

Klüft foi campeã olímpica em Atenas’2004 e tricampeã mundial de heptatlo. Numa das imagens aparece a sprintar numa montanha coberta de neve e depois cai no chão enquanto vomita. "Bem-vindos à vida glamorosa de um atleta de elite", diz. Teve uma longa lista de lesões: "Tendões rasgados, hérnia discal, fraturas na tíbia, entorses e distensões. Acho que é tudo." Abandonou a carreira em 2012, apenas com 29 anos, depois de falhar a participação no salto em comprimento nos Jogos de Londres: "O meu corpo está fatigado e fico triste por este ser o fim", lamentou.

Olsson e Kallur seguiram o mesmo caminho. Erik Sundlof, um atleta mais jovem, ignorou uma lesão no tendão de Aquiles até ao ponto de ficar com um enorme buraco no calcanhar e ser obrigado a uma cirurgia que durou mais de 11 horas e lhe tirou a hipótese de estar em Londres. Mas logo na altura disse que queria recuperar para ir ao Rio de Janeiro: "O meu corpo está em muito mau estado, mas não vou parar. Mesmo que venha a ficar inválido."

Por Luís Aguilar
1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Especial

Notícias

Notícias Mais Vistas

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.