Francisca Laia: «Sou nova e não descarto mais um ciclo olímpico»

Canoísta vai tentar em abril garantir mais uma presença nos Jogos

Francisca Laia conseguiu a sua primeira presença nos Jogos Olímpicos em 2016, no Rio de Janeiro. Foi 16ª na classificação geral em K1 200 metros, uma participação que vai ficar na memória. "Espero que esse não tenha sido o ponto mais alto da minha carreira, mas para já, foi", conta a canoísta, que vai tentar em abril garantir mais uma presença nos Jogos. "Ainda é possível. Sermos atletas de alta competição é não desistirmos até à última oportunidade", sublinha a atleta do Sporting. Dividida entre a Medicina e a canoagem, Francisca Laia vai ter de tomar uma decisão este ano: tentar mais um ciclo olímpico com vista a Paris’2024 ou ‘agarrar-se’ aos livros e estudar para o exame. "É uma decisão que eu tenho de tomar, se quero fazer mais um ciclo olímpico ou não, mas gostava. Ainda sou nova e ainda tenho muito para dar. Não descarto a presença nos Jogos de Paris", refere. E enquanto o corpo deixar, a canoísta vai continuar a fazer aquilo que gosta. "Quando é que vou ser médica? Talvez quando me cansar. Ser atleta de alta competição também é cansativo, mas enquanto tiver rendimento desportivo e gostar de fazer canoagem, irei continuar."

Por Rafael Godinho
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fazemos campeões

Teodoro Cândido: «Na cadeira esqueço tudo»

Aos 66 anos, Teodoro não se cansa. Descobriu o desporto adaptado no sofá durante “a vida de reformado”. Depois disso nunca mais parou: andebol, basquetebol, ténis de mesa, vela... e não quer ficar por aqui

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.