Inês Alemão Teixeira: «Adoro a liberdade de montar»

Aos 26 anos, a atleta da Academia João Cardiga quer continuar a ser presença assídua em Mundiais e Europeus

RECORD - Como se chama o teu cavalo?

IAM - Giraldo da Sernadinha. É um Puro Sangue Lusitano. Chegou cá a Casa e com o conhecimento de todos percebemos que era um bom cavalo para a disciplina. Hoje em dia tem sido o meu companheiro nos altos palcos: Mundial nos Estados Unidos e Europeu este ano na Holanda e quem sabe dos Jogos.

R - Há quanto tempo são parceiros?

IAM – Somos parceiros há dois anos. Tomei a grande decisão da minha vida de ficar com ele e não me arrependo. É um cavalo espetacular com uma grande cabeça e com tudo aquilo que é preciso para alcançar os nossos objetivos. É um paz de alma, é possível confiar e ter uma ligação. Essa é uma parte importante. Podermos estar confiantes e sem qualquer medo porque ele é um ser vivo. O Giraldo é assim. Pode agora cair uma bomba aqui perto que ele vai ficar ali exatamente igual. Costumo também dizer que ele não tem o botão da satisfação. Está sempre a comer até rebentar. Aliás, nota-se. Ele é um bocadinho gordinho [risos].

R - O que é que sentes quando estás em cima do cavalo?

IAM - Adoro montar e adoro a liberdade que me dá. É uma enorme sensação de felicidade montar. Gosto muito do meu cavalo e tudo aquilo que ele transmite.

R - Cair daquele cavalo enorme deve doer…

IAM – Tenho uma história de um rapaz que monta aqui connosco que a primeira vez que olhou para mim disse: ‘Tu foste a menina que caiu na feira do cavalo em Porto Salvo’. Era a única coisa que ele se lembrava de mim.

R - Qual foi o teu maior feito enquanto atleta?

IAM – Nós estivemos em Espanha num campeonato internacional este ano e fomos campeões por equipas e fui campeã no grau 3. Foi um grande feito, sobretudo o coletivo.

R - E recentemente um 10.º lugar no Europeu da Holanda…

IAM – Éramos 12 atletas e fiquei em 9º na prova individual e em 10º nas provas de equipas. Foi uma grande evolução em relação ao ano passado. Crescemos bastante em relação ao ano passado e estamos muito felizes.

Por Rafael Godinho
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fazemos campeões

Teodoro Cândido: «Na cadeira esqueço tudo»

Aos 66 anos, Teodoro não se cansa. Descobriu o desporto adaptado no sofá durante “a vida de reformado”. Depois disso nunca mais parou: andebol, basquetebol, ténis de mesa, vela... e não quer ficar por aqui

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.