Triatlo: evolução para chegar às medalhas

Triatlo aposta forte em juventude e experiência para chegar à glória nos Jogos, o que não sucede desde 2008... com Vanessa Fernandes

A 18 de agosto de 2008, a maior parte da população ficou colada à televisão e a vibrar com a performance de Vanessa Fernandes nos Jogos Olímpicos de Pequim e que terminou com a medalha de prata ao peito da atleta oriunda de Perosinho. O feito inédito de Vanessa levou a um acréscimo de praticantes na modalidade e, passados mais de dez anos, Portugal olha com otimismo para um possível regresso às medalhas nos Jogos do próximo ano em Tóquio. Uma das pessoas que esperam lá estar e orgulhar o país é mesmo Melanie Santos que, a Record, aborda como tem vivido a reta final de apuramento para a competição. Tudo com vista a tentar imitar um dos seus exemplos, Vanessa Fernandes.

"Fico contente pelos resultados que tenho obtido e por ser vista como uma das grandes esperanças nacionais para Tóquio’2020, mas não sinto pressão acrescida por esse motivo. Aliás, é importante estarmos em provas de alto nível, mas eu vejo isso como se fosse uma competição como outra qualquer. Podemos estar nos Jogos Olímpicos, mas encarar como se fosse uma prova normal. Isto para que nos corra bem", admite a triatleta, de 24 anos, que tinha somente 13 quando viu o brilharete daquela que acabou por ser sua companheira de modalidade no Benfica. "Comparam-me à Vanessa e fico satisfeita por isso, mas não penso muito nesse facto nem fico obcecada em conseguir resultados por esse motivo", considera, antes de analisar as hipóteses de chegar às medalhas em Tóquio: "Penso que posso fazer um bom resultado, sim, mas é sempre uma competição difícil. Existe um lote de 35 atletas que podem lutar por vencer e posso estar nesse grupo, mas depende de várias coisas", anotou, perspetivando aquela que pode ser a sua primeira presença nos Jogos Olímpicos.

De resto, a triatleta, de 24 anos, enumera dois aspetos importantes quando convidada a comentar a evolução da modalidade em Portugal nos últimos anos. "Temos tido muito apoio da federação e vemos cada vez mais praticantes. Existe espírito de grupo com uma mistura de atletas jovens e mais experientes."

Reconhecimento do terreno

Uma delegação com triatletas portugueses esteve presente já durante este ano de forma a perceberem como serão as condições das provas no terreno nipónico, já que o calor pode ser um problema no verão, e Melanie realça a importância desse reconhecimento do terreno. "Todos os aspetos acabam por ser importantes neste nível e temos tido uma boa preparação", referiu.

Recorde-se que, nos Jogos de 2020, as provas individuais masculina e feminina, que se disputam a 27 e 28 de julho, foram antecipadas para as 6h30 devido ao calor previsto.

João Pereira inspira Melanie

Melanie alinha pelo Benfica e é precisamente no clube da Luz que tem uma das inspirações na modalidade, João Pereira. O triatleta, de 31 anos, tem conseguido bons resultados pelos encarnados e ficou principalmente conhecido pelo 5º lugar registado nos últimos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro. Em 2016, João alcançou marca próxima das medalhas e Melanie assume que pede conselhos tanto a ele como a atletas mais velhos.

"Os mais velhos ajudam-nos muito. Na Seleção Nacional existe muita camaradagem e toda a gente se apoia e dá conselhos. Isso acontece muito e é positivo. Já o João dá-me conselhos sobre os Jogos. Em 2012 ele falhou a qualificação, tal como eu em 2016 e, por isso, percebemo-nos nesse aspeto", confessa.

FACTOS E NÚMEROS

FUNDAÇÃO. Federação Portuguesa de Triatlo foi fundada em 1989, sucedendo à Associação Portuguesa de Triatlo, que tinha sido criada dois anos antes.

INTEGRAÇÃO. A FPT colocou em marcha o programa Tri-Try Jamor, que serve de promoção da atividade física através da prática de triatlo dirigida a atletas amadores, que funciona em parceria com o Instituto Português do Desporto e Juventude.

ESTREIA. Este ano, realizou-se pela primeira vez em Portugal a Taça do Mundo de Paratriatlo na distância sprint. A competição acabou por ter lugar no Funchal.

CLUBES. O número de praticantes da modalidade no País tem tido um franco crescimento nos últimos anos e, em 2018, estavam registados 115 clubes associados.

PRATA. Vanessa Fernandes conquistou até agora a única medalha portuguesa em Jogos Olímpicos. Em Pequim’2008, a triatleta ganhou a medalha de prata.

Por Filipe Balreira
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fazemos campeões

Teodoro Cândido: «Na cadeira esqueço tudo»

Aos 66 anos, Teodoro não se cansa. Descobriu o desporto adaptado no sofá durante “a vida de reformado”. Depois disso nunca mais parou: andebol, basquetebol, ténis de mesa, vela... e não quer ficar por aqui

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0