Coronavírus: Câmara de Lisboa reforça distribuição diária de refeições quentes

Conta com o apoio das forças armadas

• Foto: DR Record

A câmara de Lisboa anunciou este sábado o reforço da resposta social com a distribuição de 1.000 refeições por dia, confecionadas pelas escolas e pela Santa Casa da Misericórdia.

A distribuição suplementar de 1.000 refeições quentes por dia arrancou hoje em três locais chave: junto à discoteca Lux (em Santa Apolónia), junto à Estação do Cais do Sodré e na Praça Paiva Couceiro (Penha de França), informou a câmara de Lisboa.

A distribuição das refeições é efetuada tanto ao almoço como ao jantar, contando com o apoio das forças armadas.

Manuel Grilo, vereador dos Direitos Sociais e da Educação, afirmou tratar-se de "um incremento histórico na distribuição de refeições na cidade de Lisboa" que vem responder "ao visível aumento de pedidos de ajuda de pessoas que não dormem na rua".

 Numa nota enviada à agência Lusa, o vereador refere que o impacto socioeconómico da pandemia "já se faz sentir na cidade e afeta hoje muita gente que perdeu emprego, fonte de rendimento ou simplesmente deixou de ter as respostas sociais que tinha".

A câmara "está aqui para garantir que as respostas continuam e que ninguém fica para trás" acrescentou Manuel Grilo, incentivando a que as pessoas que se inscreveram na "Rede Solidária" e na ajuda das Forças Armadas na distribuição das mais de mil refeições quentes.

As refeições são confecionadas nas escolas básicas do concelho durante os dias de semana. Aos fins de semana são asseguradas pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

Além destas respostas a câmara de Lisboa conta com três centros de acolhimento de emergência abertos recentemente especificamente para responder às necessidades da população em situação de sem abrigo durante a pandemia.

Os centros "não configuram uma política pública de longo curso, que continua a ter como opção o programa "Housing First", mas "respondem às necessidades imediatas de quem não tem casa para cumprir o distanciamento", explicou o vereador.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 600 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram quase 28.000.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 100 mortes, mais 24 do que na véspera (+31,5%), e registaram-se 5.170 casos de infeções confirmadas, mais 902 casos em relação a sexta-feira (+21,1%).

Dos infetados, 418 estão internados, 89 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 2 de abril.

Além disso, o Governo declarou no dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Por Lusa
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Coronavírus

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.