Coronavírus: infetados crescem mas em ritmo lento

Terceiro dia seguido com aumento de casos abaixo dos 30%; número de testes de despiste a subir

• Foto: Carlos Barroso

O País acordou com a notícia de 1.280 casos confirmados da Covid-19, mais 260 do que na véspera, um aumento de 25,4%, o que coloca como o terceiro melhor dia desde o início da pandemia, de acordo com o boletim divulgado ontem pela Direção-Geral da Saúde. Os números não deixam de ser animadores e muito abaixo das projeções feitas neste particular pelo Governo. É já o terceiro dia seguido com aumentos abaixo dos 30%, cumprindo em ritmo lento a fase exponencial em que vivemos.

Coronavírus - evolução em Portugal

"A evolução epidemiológica no País aponta para um abrandamento da inclinação da curva de contágio", realçou ontem a ministra da Saúde, Marta Temido. Os números ‘animadores’ podem resultar de uma menor capacidade atual da realização de testes de despiste, uma tese negada pela diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, que garantiu que por dia são cumpridos pelo menos 1.400 testes, um valor que tem crescido diariamente.

A pandemia do novo coronavírus tem afetado de forma transversal Portugal, sendo que a faixa etária com maior incidência de infeção é a dos 40-49 anos, com 242 casos, seguindo-se a faixa etária dos 30-39 anos, com 234 casos. Dos 50-59 anos, há 214 casos confirmados numa pandemia que não distingue género: mais mulheres (649) do que homens (631).

São já 12 mortos pela Covid-19 em Portugal

Ontem foi o dia mais mortífero no país desde o início da pandemia, tendo sido registados seis mortos, o que elevou o número total para 12 vítimas, enquanto o número de casos recuperados manteve-se nos cinco. Em termos geográficos, quatro pessoas morreram no Norte, quatro na Zona Centro, três na zona de Lisboa e Vale do Tejo e uma no Algarve. Atualmente há 13.155 pessoas em vigilância das autoridades de saúde e 1.059 casos suspeitos a aguardar resultados das análises. Há igualmente 156 pessoas internadas no hospital (mais 30 do que na véspera) e 35 nos cuidados intensivos.

"Pico será a 14 de abril"

A ministra da Saúde afirmou ontem, em conferência de imprensa, que falta menos de um mês para se atingir o pico da Covid-19 em Portugal. "De acordo com a evolução do número de casos e com as estimativas epidemiológicas, estima-se que a data prevista para a ocorrência do pico da curva se situe à volta do dia 14 de abril", afirmou Marta Temido, que anunciou uma nova abordagem ao tratamento. "Face àquilo que tem sido o alargamento geográfico e a tendência crescente da curva epidémica, será aplicado um novo modelo de abordagem ao doente a partir de quinta-feira", explicou a ministra, pretendendo chegar aos 80% dos infetados tratados em casa. Serão ainda distribuídos mais equipamentos de proteção aos profissionais de saúde e mais testes, a partir desta semana, "à medida que o mercado o for permitindo", de forma a ser possível aplicar esse novo modelo, revelou.

Por Francisco Laranjeira
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Coronavírus

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0