Governo quer dar ajuda de 10% na fatura da luz durante confinamento

Todas as famílias estão na mira do Governo para receberem uma ajuda no pagamento da conta da luz

O Governo confirma que vai ser apresentada uma medida extraordinária para ajudar as famílias a pagar a fatura da luz. O apoio deverá ser de cerca de 10% do total do valor da conta, e terá início no dia 1 de janeiro, prolongando-se até ao final do confinamento.

A notícia é avançada pelo Expresso, que cita o Ministério do Ambiente. Os 10% representam, na prática, a diferença entre a fatura de 2020 e a deste ano, de acordo com os cálculos do regulador.

Esta medida surge num contexto em que a dificuldade das famílias de aquecerem as suas casas tem estado presente nas discussões no Parlamento. O Partido Ecologista 'Os verdes' (PEV), após uma reunião com o Governo no sábado, mostrou-se de acordo com o agravamento das restrições para tentar conter a pandemia de covid-19, mas pediu medidas para ajudar as famílias a aquecer as casas.

"Os custos de energia numa altura de inverno já são elevados, com as temperaturas que se fazem sentir serão realmente ainda mais elevados, e encaminhando as pessoas para casa, de onde não podem sair, é necessário garantir que as suas habitações têm condições de conforto para que as pessoas possam lá estar", salientou a deputada Mariana Silva. Assim, a parlamentar do PEV indicou que propôs ao primeiro-ministro que "a fatura de janeiro de 2020 seja o reflexo agora para janeiro de 2021, o custo que as famílias terão que suportar, e resto que seja de alguma forma suportado pelo Estado".

Já na altura, Mariana Silva, apontou que "houve abertura" do Governo para que "houvesse uma ajuda para pagar estas contas". 


 

Por Negócios
Deixe o seu comentário
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Coronavírus

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.