Pedro Marques: «Estamos juntos a reconstruir o país»

Depois de uma visita a três habitações das localidades de Lagares da Beira, Parceiro e Alvoco das Várzeas

• Foto: Lusa

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, considerou que as zonas mais afetadas pelos incêndios de outubro já estão a ser reconstruídas, fruto do trabalho desenvolvido pelas juntas de freguesia, autarquias, Comissão de Coordenação e Governo.

"Este é o sinal que podemos dar a partir de Oliveira do Hospital ao país: o país já está a agir, as autarquias e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), todos nós estamos juntos a reconstruir o país, a região Centro em particular, pois foi a mais afetada, mas também vários concelhos da região Norte", sustentou.

Depois de uma visita a três habitações das localidades de Lagares da Beira, Parceiro e Alvoco das Várzeas, Pedro Marques destacou o exemplo do concelho de Oliveira do Hospital, que "está muito à frente" em matéria de reconstrução de habitações afetadas pelos incêndios de 15 e 16 de outubro.

"Muitos concelhos por toda a região Centro e pela região Norte vão já recomeçando a reconstruir a vida das famílias, vão reconstruindo a vida das suas comunidades. Esse é o aspeto fundamental agora: reconstruir o país, as aldeias e os concelhos afetados", acrescentou.

No seu entender, depois de um período difícil e de tragédia, "com um impacto brutal em termos de perda de vidas humanas", é importante transmitir às pessoas e às empresas que se está "a agir para reconstruir, para voltar a construir estas regiões".

De acordo com o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, o país e as zonas mais afetadas "já estão a levantar-se" e podem contar "com o apoio do Governo".

"Esta gente e empresas estão a dizer que querem levantar-se. A prioridade é encontrar os recursos necessários, obviamente não vamos decidir se é mais milhão menos milhão, mais euro menos euro, vamos colocar os recursos necessários para reconstruir estas comunidades e estas empresas, mantendo as contas públicas em ordem, mas não faltando com aquilo que faz falta para reconstruir os territórios", apontou.

Aos jornalistas, realçou também que, tal como já tinha sido feito em Pedrógão Grande, a legislação relativa à reconstrução das habitações foi simplificada.

"O exemplo de Pedrógão é o melhor testemunho de que estamos aqui para ajudar a reconstruir rapidamente o território. Nas mais de 200 habitações afetadas pelos incêndios, há 90 habitações concluídas agora, e no total, entre as concluídas, em obra ou em adjudicação, há 200 casas em reconstrução", concluiu.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.