Águas de Portugal colhe menos lucros mas reduz défice tarifário pela primeira vez

Fechou as contas de 2018 com um registo inferior ao do ano anterior

• Foto: Micaela Neto

O ano de 2018 terminou com a Águas de Portugal a registar um lucro de 87,3 milhões de euros, dos quais 15,5 milhões serviram para abater o défice tarifário pela primeira vez nos 25 anos de história da empresa.

A quebra nos lucros está relacionada com os resultados extraordinários obtidos no exercício anterior, período em que contabilizou "mais-valias pela alienação de participações sociais". Excluindo este efeito, o resultado líquido para 2018 aumentaria 12,5% face ao obtido em 2017.

A quantia amealhada no conjunto do ano espelha a "melhoria significativa dos indicadores chave das operações de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais", com o EBITDA a atingir os 343 milhões de euros, uma subida de 8,4% face ao ano anterior. Também o volume de negócios cresceu, 657,9 milhões de euros, um aumento de 5% em relação a 2017.

No final de 2018, o défice tarifário acumulado era de 650,9 milhões de euros, uma redução de 2,3% comparativamente aos 666,4 milhões de euros no final de 2017. "A tendência de redução de dívida deverá acentuar-se em 2019 atendendo a que no decurso do 1.º trimestre deste ano foram celebrados 31 acordos de regularização de dívida com os municípios, com um valor total de 78 milhões de euros", informa ainda a empresa.

Outro dos números em destaque foi o do nível de investimento, que aumentou 41% para os 133,8 milhões. Os trabalhos realizados durante o ano conduziram à assinatura, em janeiro de 2019, do contrato de parceria pública para a exploração do sistema integrado de abastecimento e de saneamento em baixa do Alto Minho, que servirá cerca de 200 mil habitantes. A exploração pela empresa Águas do Alto Minho deverá arrancar durante o corrente ano.

Já a dívida líquida recuou 5,9% para os 1,8 mil milhões de euros.

"O resultado histórico alcançado com a primeira redução do défice tarifário global do Grupo AdP, a diminuição acentuada do endividamento, a realização de investimentos essenciais no setor da água e a celebração do Acordo Coletivo de Trabalho marcam o nosso ano", refere João Nuno Mendes, presidente do Grupo AdP - Águas de Portugal, citado no comunicado.

Autor: Negócios

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.