Ator de 'Riverdale' condenado a prisão perpétua por matar a mãe e filmar homicídio

Nos meses que antecederam o crime, Ryan Grantham passou horas a fumar canábis e a ver vídeos violentos na dark web

Ryan Grantham
Ryan Grantham

Ryan Grantham foi condenado a prisão perpétua pelo homicídio da mãe e por planear matar o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau.  

O jovem de 24 anos declarou-se culpado depois de ter disparado contra a mãe, na nuca, enquanto esta tocava piano em casa, em Squamish, a norte de Vancouver, no Canadá. De acordo com as autoridades, Ryan Grantham terá filmado o homicídio com uma câmara Go-Pro. O crime aconteceu em março de 2020. 

No dia a seguir ao incidente, conta a imprensa canadiana, cobriu o corpo da mãe com um lençol, acendeu velas à volta deste, e meteu-se num carro com diversas armas e munições, com o objetivo de viajar até à capital canadiana e matar o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau.

Segundo conta a rádio canadiana CBC, o jovem ainda conduziu durante vários quilómetros até desistir do plano.

À polícia revelou ter planeado cometer um ataque em massa na ponte Lions Gate ou na Universidade Simon Frases, ambas no Canadá, onde estudou. Acabou por se dirigir à esquadra da polícia para confessar o crime: "Matei a minha mãe", disse.

Nos meses que antecederam o crime, passou horas a fumar canábis e a ver vídeos violentos na dark web, conforme foi relatado durante a leitura da sentença que o condenou a prisão perpétua, sem possibilidade de sair em liberdade condicional nos primeiros 14 anos de pena.

A juíza que liderou o julgamento considerou "uma sorte" Grantham ter tido o discernimento para não cometer um massacre e enalteceu o facto de apresentar agora "verdadeiros remorsos" pelo crime cometido.

Iniciou a carreira aos nove anos e participou nas séries "Riverdale" e "Supernatural".

Por Correio da Manhã
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias