Atriz de 'Smallville' presa e acusada de tráfico sexual por ligação a seita

Allison Mack responde em tribunal

Allison Mack
Allison Mack

As autoridades nova-iorquinas prenderam esta sexta-feira a atriz Allison Mack, conhecida pelo seu papel na série televisiva 'Smallville', acusada de tráfico sexual pela sua alegada ligação à seita Nxivm, adiantou a Efe.

Em comunicado, o procurador da zona este de Nova Iorque, Richard P. Donoghue, explicou que a atriz "recrutou mulheres" para que se juntassem a um grupo feminino de tutoria, criado e liderado por Keith Raniere, líder da Nxivm, acusado dos mesmos crimes que Mack.

Raniere, de 57 anos, há duas décadas que apoiava alegados programas de autoajuda através de uma empresa paraguaia denominada Nxivm, fundada por si e com centro operacionais nos EUA, México, Canadá e América do Sul.

De acordo com a procuradoria de Nova Iorque, a empresa, estabelecida na zona norte dessa cidade, seguia um esquema de pirâmide no qual obrigava os membros a ter aulas adicionais a um preço mais elevado e a trazer outras pessoas para a organização para subir de nível e obter privilégios.

Mack aparece em materiais de promoção como cocriadora de um programa chamado 'The Source' (A Fonte), que recrutava atores, segundo as autoridades.

Raniere foi preso a 27 de março numa luxuosa 'villa' no México, e para onde fugiu no ano passado depois de o jornal 'The New York Times' revelar histórias de mulheres que tinham conseguido abandonar a seita, que se estima ter angariado cerca de 16 mil pessoas.

Nesse mesmo dia Raniere foi levado do México para o estado norte-americano do Texas e foi presente a um tribunal nova-iorquino a 13 de abril.

Em 2015, Raniere formou uma sociedade secreta dentro da organização Nxivm, chamada DOS, acrónimo em latim para 'Amo das companheiras obedientes', no qual era o único homem e o líder, enquanto Mack era "uma das mulheres no primeiro nível da pirâmide, imediatamente depois dele".

O grupo DOS operava com as categorias de 'mestres' e 'escravas', e esperava-se destas últimas que recrutassem novas mulheres, que ficariam na base da pirâmide e das quais se poderiam aproveitar quem estivesse num nível superior.

"Mack e outros 'mestres' do DOS recrutaram 'escravas' dizendo-lhes que se juntavam a uma organização só para mulheres que lhes iria conceder poder e erradicar supostas debilidades que a Nxivm afirmava serem comuns entre as mulheres", adiantou a procuradoria.

Para além disso, como condição prévia para juntar-se à seita as mulheres precisavam de entregar determinadas garantias de compromisso, entras as quais informação "altamente prejudicial" sobre amigos e familiares, fotografias de nus e direitos sobre pertences seus.

Muitas 'escravas' foram marcadas a fogo na zona pélvica com um símbolo que tinha as iniciais de Raniere em cerimónias supervisionadas por um 'mestre', que ordenava a outra 'escrava' que filmava a cena enquanto o resto segurava a vítima.

Segundo a acusação, Mack requereu direta ou indiretamente às suas 'escravas', entre as quais duas denunciantes não identificadas, que fizessem sexo com Raniere.

A atriz recebeu uma compensação financeira ou de outro tipo, a troco desses atos, que as 'escravas' realizaram por medo de que expusessem os seus documentos comprometedores.

Se for considerada culpada, Mack enfrenta uma pena entre 15 anos de prisão e prisão perpétua.

Num comunicado na sua página de Internet, a Nxivm garante estar a "trabalhar com as autoridades" para demonstrar a "inocência e verdadeiro caráter" do seu fundador, confiando no sistema judicial para que se esclareçam os factos.

Autor: Correio da Manhã

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.