Clubismos na PJ, erros de Pinto da Costa e o caso e-Toupeira: tudo o que disse Rui Pinto

A reação do português à decisão da extradição para Portugal

Rui Pinto reagiu à decisão do tribunal húngaro em extraditá-lo para Portugal dizendo que vai apresentar recurso e apontando o dedo à forma como a Polícia Judiciária tem conduzido o processo. O alegado hacker lembrou ainda que também houve revelações sobre o FC Porto e não apenas do Benfica e garantiu que nunca ganhou dinheiro com o Football Leaks.

Mandado irregular

"Portugal abusou, fez um mandado de detenção europeu irregular porque não fizeram mandado de detenção nacional primeiro. Há jurisprudência europeia, este caso devia ser analisado pelo Tribunal Europeu no Luxemburgo."

Colaborar com a justiça portuguesa?

"A minha prioridade é colaborar com a justiça francesa, que foi a que me mostrou mais garantias. Portugal nunca quis saber de mim. Portugal agora quer pôr a minha cabeça a prémio, quer mostrar-me como um troféu, quer tratar-me como um Bin Laden. Foi essa a perceção que tive da conferência de imprensa de Carlos Cabreiro."

Suspeitas sobre a PJ

"Se elementos ligados à Doyen tiverem reuniões clandestinas com inspetores da PJ que nem fazem parte do processo, isto é gravíssimo. Quando vemos inspetores da PJ a usarem emails pessoais para falarem com elementos da Doyen e tratarem-se quase como amigos, é gravíssimo. O Ministério Público investiga? Não quer saber disso. Provas? Tenho, estão em França. Entreguei provas disso às autoridades francesas. Têm documentos claríssimos que mostram que a investigação foi feita de maneira completamente irregular. Isto é escandaloso."

Quem vai pagar a defesa?

"Uma fundação americana que se dedica a ajudar whistleblowers, como é meu caso, vai pagar todas as verbas aos advogados."

Sente-se ao nível de Assange e Snowden?

"Isto não é uma corrida de Fórmula 1, não me estou a comparar com eles. Mas a perseguição que têm sofrido demonstra que uma pessoa para ser whistleblower tem de ter muita coragem. Fiz o que tinha a fazer, não me arrependo de nada, repetia tudo."

O futebol português vai mudar?

"Não, porque em Portugal não há cultura de futebol, há cultura de clubismo, ainda por cima quando temos inspetores da PJ, magistrados, juízes que infelizmente levam a paixão clubística muito a sério, recebem convites VIP para assistirem a jogos de futebol. Basta isso para se perceber que as coisas em Portugal não vão mudar. Portugal está podre. Entristece-me. Vejo outros países motivados em lutar contra a corrupção no futebol e Portugal não está. É tudo uma treta. O que se tem passado no caso dos emails, e-Toupeira… Não vai acontecer nada."

Revelações do FC Porto

"O Football Leaks revelou pormenores bem interessantes do FC Porto, por exemplo a colaboração com a Doyen, também comportamentos que considero estranhos em relação à participação do filho de Pinto da Costa, Alexandre Pinto da Costa. Também outro fundo registado na Áustria, em Viena, chamado Danubio, existem algumas coisas que me fazem acreditar que possa talvez haver desvio de fundos no FC Porto, o que me entristece. Pinto da Costa para mim é um dos melhores presidentes que o futebol europeu já teve, mas também comete erros. E entristece-me algumas coisas que soube sobre o FC Porto. Parte delas já são públicas. Se mais vão ser reveladas? Há essa possibilidade. Ainda recentemente há um escândalo que atinge o Manchester City por causa do fair play financeiro. É claro que isto não visa nenhum clube em específico, isto é internacional. Acho de muito mau gosto algumas acusações em Portugal de que sou movido pelos interesses do FC Porto. Sou portista mas não tenho nenhuma agenda escondida."

Enriqueceu com o Football Leaks?

"Não recebi um cêntimo. Chegaram a dizer que recebia 1 euro por cada livro, é mentira."

De que vive?

"Quem lê o livro consegue perceber como vivo. Ajudo o meu pai no negócio das antiguidades. Tenho uma paixão pela história. Fiquei surpreendido com algumas acusações de que recebia dinheiro do FC Porto ou de algumas empresas."

Vai apresentar recurso

"Agora vou passar umas noites numa prisão húngara. Interpomos recurso e é aguardar."

As revelações sobre Ronaldo são da sua responsabilidade?

"Faz parte das revelações do Football Leaks. Fui contactado, não só eu, por autoridades americanas. Sempre tentei ajudar todas a autoridades, mas não posso falar de detalhes da minha colaboração com as autoridades americanas."

Futuro do Football Leaks

"O Football Leaks não vai parar. Não estou sozinho. Os meus advogados estão a tratar do assunto, isto ainda é o início. Se há mais portugueses envolvidos? Não vou falar sobre isso."

Estava a colaborar com autoridades de alguns países

"Fico com a perceção que isto é o fim de uma colaboração qee seria promissora. Era uma oportunidade única de as autoridades europeias terem acesso a um acervo vasto que revela crimes gravíssimos. Em vários casos demonstram uma organização criminosa sem precedentes."

Declarações de António Cluny

"Se Portugal quisesse alguma vez investigar crimes no futebol, pedia a colaboração do Football Leaks. Por isso é que eu acho uma extrema palhaçada as declarações do magistrado do Eurojust [Unidade de Cooperação Judiciária da União Europeia] António Cluny, de querer separar o caso Football Leaks, o que eles chamam em Portugal de extorsão, das revelações. Isto é ridículo. Não posso dizer se Cluny é independente ou não. Escreveu um artigo de opinião no 'Jornal i' que mostra a sua opinião sobre whistleblowers. Uma pessoa que tem um filho que é advogado direta ou indiretamente de Cristiano Ronaldo, de José Mourinho, faz parte do escritório de advogados Morais Leitão, faz parte da equipa de advogados ligados ao Benfica no e-Toupeira... Acho que há aqui um claro conflito de interesses."

Por Luís Miroto Simões
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.