Coronavírus: Ministro apela para limitação de deslocações no fim de semana

Eduardo Cabrita diz que forças de segurança vão estar empenhadas na fiscalização do cumprimento das regras

O ministro da Administração Interna apelou esta sexta-feira para que os portugueses limitem, durante o fim de semana, as deslocações ao necessário e avisou que podem ser encerradas pelas forças de segurança zonas com aglomerados de pessoas.

"Os resultados positivos que têm vindo ser apresentados não nos permitem descansar neste esforço coletivo de contenção. Por isso apelava, para que neste fim de semana, limitemos as deslocações àquelas situações em que são expressamente admitidas", disse Eduardo Cabrita no final da nona reunião da Estrutura de Monitorização do Estado de Emergência devido à pandemia de covid-19.

O ministro avançou que as forças de segurança vão estar empenhadas "naquilo que é o aconselhamento, recomendação e fiscalização do cumprimento das regras próprias do regime estado de emergência".

A PSP e a GNR começaram estas operações ao fim da tarde de hoje e vão prolongar-se pelo fim de semana.

"Em articulação com as câmara municipais não deixaremos de encerrar zonas que propiciem uma maior aglomeração de pessoas, designadamente zonas perto do mar e em zonas de lazer", frisou, acrescentando que "é um esforço adicional" para que a partir do início de maio se inicie "gradualmente e com segurança uma abertura de vários setores" da economia e serviços.

Eduardo Cabrita relembrou também que no primeiro fim de semana de maio, entre 01 e 03, terá de existir "um esforço adicional" através de regras de limitação da circulação entre municípios, idêntico ao que aconteceu na Páscoa.

Na reunião da estrutura de monitorização, as forças de segurança destacaram que se verifica "um generalizado cumprimento e adesão" dos portugueses às regras do estado de emergência, frisou.

O ministro avançou igualmente que desde que foi decretado o terceiro período do estado de emergência, a 18 de abril, a PSP e a GNR detiveram 58 pessoas por desobediência, 23 das quais por violação do dever de confinamento obrigatório, e encerram 142 estabelecimentos comercias, sobretudo cafés e pastelarias.

O ministro referiu ainda que as forças de segurança reportaram a existência de algum aumento de circulação na via pública e nas estradas, o que considerou ser "algo positivo", porque pode significar "alguma retoma das atividades económicas" de empresas que tinha decidido fechar sem ser necessário.

Presidida por Eduardo Cabrita, a Estrutura de Monitorização do Estado de Emergência integra representantes das forças e serviços de segurança e os secretários de Estado das áreas governativas da Economia, dos Negócios Estrangeiros, da Presidência do Conselho de Ministros, da Defesa Nacional, da Administração Pública, da Saúde, do Ambiente, das Infraestruturas e Habitação e da Agricultura.

Portugal está em estado de emergência para combater a covid-19 desde o dia 18 de março, que já foi renovado por três períodos, e termina a 02 de maio.

De acordo com a Direção-Geral da Saúde, morreram 854 pessoas das 22.797 confirmadas como infetadas, e há 1.228 casos recuperados, em Portugal.

Por Lusa

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.