Crédito às famílias trava com novas regras do Banco de Portugal

Menos concessões tanto na habitação como no consumo

Os bancos nacionais estão a adoptar critérios de aprovação mais restritivos na concessão de crédito às famílias na sequência das novas regras do Banco de Portugal. E os resultados estão à vista: o mês de Setembro registou a menor taxa de crescimento de novos créditos desde Agosto de 2014, devido tanto a um abrandamento da concessão no crédito ao consumo como para habitação. 

De acordo com os dados mais recentes do Banco de Portugal, é o terceiro mês consecutivo de abrandamento do crescimento do crédito ao consumo. O indicador cresceu 1,4%, passando dos 348 milhões de euros para 353 milhões de euros em Setembro deste ano. Isto depois de ter crescido 15,76% em Agosto e 17,63% em Julho.

Já os novos empréstimos para a compra de casa seguem uma tendência semelhante, revelando uma travagem na taxa de concessão desde que as novas regras do regulador entraram em vigor. Entre Junho e Setembro, houve uma descida de 200 milhões de euros nas novas operações. 

Em termos homólogos, foram cedidos 790 milhões de euros em novos créditos para habitação, em comparação com os 739 milhões de euros. 

Relativamente ao crédito para outros fins, registou-se uma quebra homóloga de 21 milhões para 154 milhões de euros. Em termos mensais, houve um aumento de 18 milhões de euros. 

Em termos globais, os bancos portugueses disponibilizaram 1.297 milhões de euros em empréstimos às famílias, em Setembro.

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias