Detetados 14 casos de sarampo na região de Lisboa e Vale do Tejo

DGS fala de dois surtos distintos na Grande Lisboa, ambos com origem em casos que vieram do estrangeiro

Catorze casos de sarampo foram detetados na região de Lisboa e Vale do Tejo desde o dia 08 até hoje, dez dos quais confirmados laboratorialmente pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge, anunciou a Direção-Geral da Saúde (DGS).

"Estes casos configuram a existência de dois surtos distintos, ambos com origem em casos de doença importados de países europeus", esclarece a DGS, referindo que, "até à data, todos os casos confirmados são em adultos, um dos quais se encontra internado e clinicamente estável", sem indicar onde.

Segundo a DGS, está em curso uma "investigação epidemiológica detalhada", que inclui "a investigação laboratorial de todos os casos", não adiantando as respetivas localizações dos surtos.

Por outro lado, a DGS não quis identificar os países europeus de onde o vírus é originário, referindo, porém, não ser expectável surgirem novos focos da doença em Portugal.

A DGS explica que o vírus do sarampo é transmitido por contacto direto com as gotículas infecciosas ou por propagação no ar quando a pessoa infetada tosse ou espirra, e os doentes são considerados contagiosos desde quatro dias antes até quatro dias depois do aparecimento da erupção cutânea.

"Os sintomas de sarampo aparecem geralmente entre 10 a 12 dias depois da pessoa ser infetada e começam habitualmente com febre, erupção cutânea (progride da cabeça para o tronco e para as extremidades inferiores), tosse, conjuntivite e corrimento nasal", alerta ainda a DGS.

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.