Devolução do tempo de serviço dos professores vai custar 800 milhões de euros por ano

Ministério das Finanças afirma que impacto se vai sentir "já de forma acentuada em 2020"

Mário Centeno
Mário Centeno
Mário Centeno

O primeiro-ministro, António Costa, ameaçou demitir-se esta sexta-feira caso o diploma dos professores seja aprovado, numa declaração ao País depois de reunir com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na sequência da aprovação no parlamento da contabilização total do tempo de serviço congelado aos professores. 

O Ministério das Finanças enviou um comunicado às redações onde fixa um valor de 800 milhões de euros por ano como despesa causada pela devolução do tempo de serviço aos professores. "O impacto financeiro desta decisão começará a sentir-se já de forma acentuada em 2020", aponta o Governo. 

Num documento com todos os valores detalhados, o Governo afirma que o total de aumento anual da despesa em 2019 será de 540 milhões de euros e em 2020 alcançará os 1009 milhões de euros anuais. 

O documento conclui que "estes impactos não esgotam a pressão existente sobre as despesas com o pessoal, nomeadamente através de contratações e eventuais valorizações da tabela salarial".

Autor: Correio da Manhã

1
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias