Dois dos quatro helicópteros do INEM mandados parar pela autoridade europeia

Idade das aeronaves impede a existência de um sistema obrigatório de monitorização dos voos

• Foto: Tiago Sousa Dias/Arquivo

A Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) detetou falhas em dois dos quatro helicópteros usados pelo INEM, que serão obrigados a parar caso não seja substituídos. Os problemas foram detetados durante uma auditoria à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e aos três operadores aeronáuticos certificados para fazer voos de emergência em Portugal.

Segundo o Jornal de Notícias, a idade dos aparelhos usados leva a que as aeronaves não tenham o sistema de monitorização de performance dos motores em voo. Os helicópteros, de acordo com a mesma fonte, pertencem à Babcock, que garantiu que a substituição dos aparelhos está para breve. Ao JN, o INEM disse desconhecer tal possibilidade.

Os aparelhos têm voado com a autorização dos responsáveis da emergência médica, apesar de não cumprirem parte dos requisitos do contrato feito com os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, incluindo a exigência de não poderem ter mais de 20 anos e a qualidade da performance. O Bell 412, com 22 anos, está colocado em Évora e o Augusta 109P, cujo desempenho não é o previsto, trabalha em Macedo de Cavaleiros.

Autor Sábado

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias