Eleições nos EUA: Biden diz-se "a caminho de vencer", Trump diz que já ganhou e vai para o Supremo

Cinco estados mantêm eleição em suspenso

• Foto: EPA

O presidente dos Estados Unidos confirmou todas as expetativas. Mesmo sem que estejam contabilizados todos os votos em diversos estados onde a disputa persiste bastante equilibrada, Donald Trump auto declarou-se vencedor das presidenciais. 

Trump também falou em "fraude grave" no ato eleitoral e garantiu que, como esperado, vai recorrer ao Supremo Tribunal para que interrompa a contagem de votos.

O presidente americano brincou por falar na "conferência de imprensa mais tardia" em que já participou e agradeceu o "apoio tremendo" recebido. 

"Estavámos a preparar-nos para uma grande celebração", disse lamentando que não tenham permitido "celebrar algo tão bonito, tão bom". 

Foi então que garantiu que a forma como está a decorrer a contagem dos votos e a demorar o anúncio do vencedor, constitui uma "fraude" e uma "vergonha" para os americanos. "Estávamos a caminho de vencer esta eleição, não, já ganhámos esta eleição", atirou assegurando que irá recorrer ao Supremo Tribunal para "parar a contagem de votos".

Quanto aos estados que ainda não atribuíram os respetivos delegados devido à demora na contagem dos votos por correspondência, Trump garante que que ganhou "claramente na Carolina do Norte". 

"Mais importante, estamos a ganhar na Pensilvânia por uma tremenda quantidade de votos. Estamos 690 mil votos à frente, nem sequer estamos próximos", disse mostrando não compreender porque não foi ainda declarado vencedor neste estado. 

"Estamos a ganhar no Michigan por quase 300 mil votos e estamos a ganhar no Wisconsin. E não precisamos de todos [estes estados]", acrescentou.

Trump regozijou-se ainda pelas vitórias no Ohio, no Texas e na Florida e quanto à Georgia disse também não perceber porque não foi declarado vencedor estando 2,5 pontos percentuais à frente de Biden.

O candidato à reeleição garante que "nunca ninguém viu nada assim", referindo-se a uma alegada instrumentalização da contagem de votos para o impedir de ser proclamado vencedor. Assegurou ainda já estar à espera que tal situação acontecesse logo que viu "dezenas de milhares de boletins de voto" a serem enviados pelos estados governados por democratas. 

Joe Biden

O democrata dirigiu-se aos americanos com uma mensagem de confiança: "Acreditamos que estamos a caminho de vencer esta eleição". Joe Biden mostrou-se "otimista" quanto ao desfecho da eleição, porém recordou que era previsível que a avalanche de votos antecipados por correspondência prolongasse a indefinição quanto ao vencedor. 

"Sabíamos que isto ia ser longo", disse frisando que será necessário aos seus apoiantes serem "pacientes". Garantiu ainda que a sua equipa está confortável com as perspetivas em diante, sublinhando que, de forma inesperada, os democratas estão ainda na luta pelo estado da Georgia e que acredita em vitórias no Wisconsin e na Pensilvânia (dois estados que vão demorar mais a contabilizar todos os votos).

Biden admitiu que os resultados finais poderão ser conhecidos já na manhã desta quarta-feira, contudo reconheceu que poderá demorar mais do que isso. 

Antecipando que Trump possa querer declarar-se vencedor e insistir na necessidade de ser conhecido o vencedor durante esta madrugada, Joe Biden defendeu que não lhe cabe a ele, nem ao presidente, dizer quem venceu, mas aguardar até que "todos os votos sejam contabilizados". 

Por Negócios
5
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias