Emprego cresce mas salários estagnam

Estudo do Observatório sobre Crises e Alternativas revela que as remunerações médias regrediram ou, no mínimo, estagnaram

O PIB e o mercado de trabalho têm vindo a recuperar desde 2013. Contudo, de acordo com um estudo do Observatório sobre Crises e Alternativas, citado pelo 'Jornal de Notícias', as remunerações médias regrediram ou, no mínimo, estagnaram.

Entre o 2.º trimestre de 2013 e de 2018, foram recuperados 450 mil dos 700 mil postos de trabalho destruídos entre 2008 e 2013. No entanto, houve uma evolução negativa nos salários portugueses, assim como se verificou no resto da OCDE. Em segundo lugar, Portugal teve uma evolução negativa de 1,2%, colocando-se atrás da Bélgica (-1,4%).

"Um dos mistérios da evolução conjuntural actualmente na maior parte dos países desenvolvidos é que estando o desemprego a baixar claramente, os salários não estão a subir, o que seria normal em condições habituais", afirmou a presidente do Conselho de Finanças Públicas, Teodora Cardoso, em entrevista em Maio.

Autor: Sábado

Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.