Ex-presidente da Raríssimas exige 147 mil euros por ter sido despedida

'Público' avança que Paula Brito e Costa avançou com um processo contra a instituição por considerar o despedimento ilegal

Paula Brito e Costa, ex-presidente da Associação Raríssimas, exige mais de 147 mil euros de indemnização à associação por considerar o seu despedimento ilegal. De acordo com o Público, a ação da antiga líder da Raríssimas deu entrada no Tribunal de Trabalho de Loures em fevereiro do ano passado e pretende impugnar o despedimento e pedir a devolução de 384 mil euros que a instituição lhe exige. 

Houve uma primeira audiência em dezembro para uma tentativa de acordo que não ocorreu. Assim, o início do julgamento ficou marcado para ontem, quarta-feira, mas acabou suspenso por se aguardar a transferência da ação que a Raríssimas colocou contra Paula Brito e Costa, no Tribunal Cível de Loures, para o mesmo Tribunal de Trabalho.

1
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.