Fundação Portuguesa de Cardiologia quer desporto a combater doenças do coração

Maio é o mês do coração e serão levadas a cabo diversas iniciativas relacionada com a atividade física

• Foto: Vítor Mota

A Fundação Portuguesa de Cardiologia quer colocar o desporto a combater as mortes por AVC e doenças coronárias, pondo-o no centro do mês do coração, que se assinala em maio com várias iniciativas.

O presidente da Fundação, Manuel Carrageta, apontou as duas doenças que mais matam em Portugal para ilustrar o risco que afeta toda uma sociedade com tendência para o sedentarismo e acumulação de calorias.

Uma solução simples é o desporto, entendido como atividade física que todos podem fazer, que deve estar presente na vida das pessoas com pelo menos "meia hora a pé todos os dias", defendeu.

O cardiologista reiterou que o exercício físico beneficia os níveis de colesterol, a tensão arterial, a diabetes e ajuda a evitar o cancro do cólon e da mama, reduzindo o risco de morte prematura.

Para passar esta mensagem, a Fundação promove, durante o mês de maio, atividades como um torneio de golfe, outro de futebol de cinco e várias reuniões científicas, bem como rastreios e um peditório nacional.

No dia 27 de maio, há rastreios gratuitos e atividades desportivas no Jardim da Estrela, em Lisboa, no Festival do Coração.

Durante o mês, a Fundação divulga uma campanha pelo desporto como forma de ter saúde, apelando à atividade física para todos, sem pensar no aspeto competitivo.

"Não importa se não nasceste para o desporto, desde que o faças com o coração" é o mote da campanha.

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias