Ferro Rodrigues: «Ainda somos um dos países com mais desigualdades na UE»

Presidente da Assembleia da República relembra os problemas de hoje

• Foto: Lusa

As palavras escolhidas por Ferro Rodrigues para dirigir ao hemiciclo na celebração dos 44 anos do 25 de Abril não foram brandas com a atual situação do país. 

"Ainda somos um dos países com mais desigualdade na UE", declarou Ferro Rodrigues, colocando a pobreza no mesmo patamar, alto e indesejável. Retratou, em consequência, "um país com contas menos equilibradas e menos potencial de crescimento, para além de injusto". O presidente da Assembleia assinalou ainda as diferenças de rendimento, que considerou "excessivas". 

Apesar das críticas, Ferro Rodrigues afirmou que "o desempenho democrático tem de melhorar" mas "não há melhor regime do que a democracia, e o melhor ainda está para vir, acreditamos". Reconheceu avanços nas liberdades cívicas, os "muitos direitos passaram do teste constitucional para a vida quotidiana" mas defendeu que "o caminho para a paridade ainda não está completo". 


Apelou à "geração de alternativas claras" da parte dos deputados e fez o elogio dos "compromissos estratégicos" que vão "além das legislaturas". 

Sugeriu que todos deveriam "avaliar seriamente a possibilidade de alargamento do âmbito da limitação dos mandatos e das acumulações de cargos, e ponderar incentivos eficazes à dedicação exclusiva no Parlamento".

Ferro Rodrigues elogiou também o contributo do chefe do Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, na recuperação do "clima de confiança" no país. "Digo-o aqui ao seu lado, e digo-o onde for preciso. Tem uma importante quota-parte nos méritos dos resultados de Portugal nos últimos anos. E uma relação exemplar com a Assembleia da República e os outros órgãos de soberania", concluiu.

Autor: Negócios



Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias