Testes obrigatórios em eventos desportivos, reforço do certificado e teletrabalho depois do Ano Novo: as novas medidas

António Costa anunciou novas regras no combate à pandemia de Covid

Conferência
António Costa anunciou ao país as novas medidas de combate à Covid-19, que passam, entre outras, por mais testagem, nomeadamente para acesso a recintos desportivos, sejam eles em eventos ao ar livre ou em espaço interior. O certificado passa a ser obrigatório para restaurantes, hotéis e ginásios. Por outro lado, o teletrabalho será obrigatório na semana entre 2 e 9 de janeiro. Conheça as recomendações e medidas em baixo, que começam a 1 de dezembro.

Duas recomendações gerais:

- Sempre que possível, fazer auto-teste;
- Sempre que possível, o teletrabalho é recomendável, para evitar excesso de contactos;

Elevar nível de alerta para calamidade a partir de 1 de dezembro

Obrigações:

- Máscaras obrigatórias em todos os espaços fechados que não sejam excecionados pela DGS;
- Certificado digital passa a ser exigido para restaurantes, hotéis, eventos com lugares marcados e também para ginásios;
- Teste obrigatório para visitas aos lares, visitas a doentes internados em estabelecimentos de saúde e em todos os grandes eventos, cultural ou desportivo, em recintos improvisados, sem lugares marcados e em todos os recintos desportivos cobertos ou ao ar livre;
- Teste obrigatório também para entrar em discotecas e bares e para entradas em território nacional, seja de que ponto de origem for e independentemente da nacionalidade.

Semana entre 2 e 9 de janeiro:

- "Semana de contenção de contágios, para voluntariamente todos conterem os contágios fora do ambiente de família"
- Teletrabalho obrigatório;
- Encerramento de bares e discotecas
- Alteração no calendário escolar, adiando o arranque do 2.º período para 10 de janeiro

"A vacinação permite-nos estar hoje numa situação muitíssimo melhor em comparação com há um ano. Por isso, a primeira medida é reforçar a vacinação, agora com a dose de reforço para as pessoas elegíveis", começou por dizer, falando depois da vacinação de crianças dos 5 aos 11 anos: "Aguardando ainda que a Comissão Nacional de Vacinação se pronuncie, e respeitando a vontade dos pais, estaremos preparados para assegurar a vacinação das crianças elegíveis para vacinação."

"Estamos a entrar numa fase de maior risco, assistindo-se a um crescimento muito significativo da pandemia. Com a aproximação do inverno, haverá mais frio, que é propício a infeções respiratórias", lembrou António Costa, frisando que "Portugal está melhor do que a generalidade dos países europeus", mas não tão bem quanto seria desejado.
Por Record
16
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias