Jerónimo Martins avança com queixa a Bruxelas para não pagar 20 milhões

A dona do Pingo Doce apresentou uma queixa à Comissão Europeia por causa da taxa de segurança alimentar

O grupo Jerónimo Martins, dono do Pingo Doce e do Recheio, avançou com uma queixa à Comissão Europeia a contestar o pagamento da taxa de segurança alimentar, criada em 2012 por Assunção Cristas. A informação, avançada pelo Público, consta do relatório e contas do primeiro semestre do grupo de distribuição.

Contactada pelo Público, fonte oficial da empresa confirmou a informação: "A queixa foi apresentada em junho deste ano junto da Comissão Europeia e está pendente".

Na base dos argumento do grupo liderado por Pedro Soares dos Santos está o facto de "a taxa constituir um auxilio ilegal do Estado". Uma sustentação jurídica que o grupo preferiu não detalhar: "Trata-se de matéria técnica que, estando o processo no início, não é oportuno detalhar nem avançar mais informação".

A taxa de segurança alimentar tem sido alvo de contestação de várias empresas e da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição desde que foi criada no Governo de Passos Coelho.

Por considerar que a cobrança desta taxa é "indevida",  a Jerónimo Martins nunca efetuou o seu pagamento tendo atualmente em falta mais de 20 milhões de euros.

 

Por Negócios
Deixe o seu comentário
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.