Lucro da EDP sobe 56% para 801 milhões em ano de pandemia

Aumento de 56% em relação àqueles obtidos no ano anterior

Miguel Stilwell de Andrade , EDP
Miguel Stilwell de Andrade , EDP

A EDP terminou o exercício de 2020 com lucros de 801 milhões de euros, o que representa um aumento de 56% em relação àqueles obtidos no ano anterior.

Este desempenho, de acordo com o comunicado publicado na página do regulador dos mercados, é "suportado pelo crescimento da atividade de produção de energia renovável, que registou um aumento de 7% face a 2019, para os 47,3 TWh de produção eólica, hídrica e solar".

Em outubro, o atual CEO da EDP, Miguel Stilwell de Andrade, havia revisto em alta as expetativas para o exercício de 2020. "Esperamos um EBITDA de 3,7 mil milhões de euros", um valor que compara com a anterior estimativa de 3,6 mil milhões de euros. Quando ao lucro recorrente, estimou que se situasse nos 900 milhões de euros, ou seja, que alcançasse o intervalo máximo estipulado anteriormente (entre 850 a 900 milhões de euros). Na altura, o CEO justificou a alteração com a melhoria de vários fatores como as reservas hídricas estarem a cima da média e com a mitigação dos efeitos cambiais adversos no Brasil na sequência de medidas regulatórias.

Estes resultados são divulgados depois de esta manhã, antes da abertura dos mercados, a empresa ter revelado as contas da sua subsidiária de energias limpas, a EDP Renováveis. A EDP Renováveis fechou 2020 com um resultado líquido de 556 milhões de euros, valor que representa um crescimento de 17% face ao exercício anterior, e que beneficiou sobretudo com a descida dos custos financeiros.

Por Negócios
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias