Mais de um milhão de pessoas em Portugal ficou em teletrabalho

Dados apurados pelo Instituto Nacional de Estatística

teletrabalho trabalho remoto à distância em casa computador
teletrabalho trabalho remoto à distância em casa computador

Foram 1,09 milhões as pessoas empregadas, 23,1% do total, que ficaram a trabalhar em casa ou quase sempre em casa no segundo trimestre do ano, de acordo com um inquérito específico sobre teletrabalho lançado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A esmagadora maioria (91,2%) indicou que o fez por causa da pandemia.

O INE tentou avaliar se as pessoas em teletrabalho trabalharam mais ou menos e conclui que "não há grande diferença entre trabalhar em casa ou fora de casa. Efetivamente, quem não esteve ausente e trabalhou fora de casa trabalhou em média 36 horas nessa semana e quem não esteve ausente e trabalhou a partir de casa trabalhou 35 horas", lê-se no destaque.

Mais de um quarto das pessoas dos serviços que ficou em casa está no setor da educação.

A profissão dos especialistas das atividades intelectuais e científicas "foi claramente aquela em que mais trabalhadores exerceram a sua profissão em sempre ou quase sempre em casa (56,7%)". 

Os dados do INE confirmam, por outro lado, que a prevalência do teletrabalho é maior no caso dos grupos com mais habilitações. A proporção dos que ficaram em casa é muito baixa entre a população empregada com o ensino básico (4,7%), subindo no grupo dos que têm o ensino secundário (17,3%) e aumentando substancialmente entre os licenciados (53,8%).

643 mil pessoas impedidas de trabalhar

O INE também conclui que 643,8 mil pessoas não trabalharam no emprego principal durante as quatro semanas, 76% das quais por causa da pandemia.

A percentagem foi mais elevada no Algarve (85,4%), Madeira (81,8%) e Centro (80,6%), assim como os que completaram o ensino secundário e trabalham por contra própria (91,3%).

O setor dos serviços, as atividades de alojamento, restauração e similares foram as mais afetadas (92,0%). Foram também muito afetados os trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção e segurança e vendedores (81,7%).

Notícia atualizada com mais informação

Por Negócios
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.