Mais três arguidos na investigação aos incêndios de Pedrogão

São dez as pessoas suspeitas de terem responsabilidades nos incêndios que mataram 66 pessoas em junho de 2017

• Foto: Raquel Wise

A investigação aos incêndios de Pedrógão Grande tem agora um total de dez arguidos. O número aumento com a constituição de mais três pessoas suspeitas de terem responsabilidades nos incêndios de 16 e 17 de Junho de 2017, que mataram 66 pessoas, segundo o Expresso.

Os novos arguidos são o vice-presidente da Câmara de Pedrógão, José Graça, encarregado geral da autarquia, António Castanheira, a engenheira e quadro da Protecção Civil Margarida Gonçalves.

A mesma fonte adianta que os restantes sete arguidos são o segundo comandante distrital da Protecção Civil de Leiria, Mário Cerol, o comandante dos bombeiros de Pedrógão, Augusto Arnaut, o comandante do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria, Sérgio Gomes, dois funcionários da Ascendi e dois empregados de empresas subcontratadas para fazer as limpezas e gestão do combustível.

O grande incêndio de Pedrógão fez ainda cerca de 250 feridos, destruiu meio milhar de casas e quase 50 empresas e devastou mais de 50 mil hectares de território, cerca de duas dezenas de milhares dos quais de floresta.



Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias