Memórias de Saltillo sem tabus

Obra de Eugénio Queirós

• Foto: Lusa
O jornalista Eugénio Queirós, que esteve com a Seleção Nacional a acompanhar o Mundial do México, em 1986, partilha com os leitores todas as histórias apimentadas do caso Saltillo. "Uma vez que passam 30 anos e ninguém tinha feito nada sobre o assunto, decidi escrever este relato baseado nas minhas memórias e naquilo que escrevi na ‘Gazeta dos Desportos’", explica o autor do livro, jornalista de Record desde 2004.

Questionado se esse Mundial teria sido o momento mais marcante da carreira iniciada em 1981, Eugénio Queirós não tem dúvidas. "Sem dúvida! Só tinha 24 anos e estive dois meses no México, numa altura em que tudo era diferente", refere, justificando: "Fiquei no hotel da Seleção, convivia diariamente com os jogadores e técnicos. Os jornalistas faziam parte da comitiva e, recordo-me bem, até houve divisões, pois alguns de nós ficaram ao lado dos jogadores e outros contra."

Ao longo de 118 páginas, Eugénio Queirós conta tudo sobre este caso que faz parte do imaginário do futebol português, com pormenores inéditos. A fechar, uma entrevista com um dos craques da altura. "Podia ter escolhido o Carlos Manuel, mas optei pelo Jaime Pacheco pela sua forma de ser e também por ter sido titular no Europeu’84 e no Mundial’86", diz.
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias