Ministério da Educação quer mochilas escolares mais leves

Há recomendações para escolas, professores, pais e alunos na campanha "Mochila Leve"

O Ministério da Educação organizou uma campanha que tem como objetivo reduzir o peso das mochilas escolares. A campanha recebeu a designação de "Mochila Leve" e traz 20 recomendações para as escolas, para os alunos e encarregados de educação.

Para as escolas, a campanha propõe, segundo o jornal Público, a que cada turma tenha apenas uma sala de aulas, de maneira a que as crianças não tenham de passar tanto tempo com a mochila às costas, bem como a promoção do uso de cacifos dentro do recinto escolar.

Citados pelo jornal diário, muitos diretores dos estabelecimentos escolares referem que um dos grandes problemas relativo às mochilas é a quantidade de  livros, manuais e cadernos que os alunos levam diariamente para as aulas. E é por isso que o Ministério liderado por Tiago Brandão Rodrigues irá propor aos docentes que estes passem a planificar as aulas de maneira a saber de antemão quais os manuais a serem usados nos respetivos dias, "para evitar que os alunos os transportem para a escola quando não fazem falta".

Estes conselhos do Ministério da Educação fazem parte de uma recomendação que foi aprovada por unanimidade no Parlamento em 2017, depois de uma petição contra o peso das mochilas escolares reunir mais de 50 mil assinaturas.

A preocupação em torno do peso das mochilas está diretamente ligada a questões de saúde, visto que muito peso às costas pode, segundo uma nota da Direção-Geral de Saúde que também será disponibilizada no site Mega, "provocar lesões degenerativas da coluna que alteram o crescimento do corpo".

Por Sábado
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.