Ministro das Finanças de Espanha lamenta que Ronaldo "já tenha sido declarado culpado publicamente"

Cristóbal Montoro defende que não respeitar a presunção de inocência "não é digno de um Estado de direito"

• Foto: EPA

O Ministro das Finanças de Espanha, Cristóbal Montoro, apelou esta terça-feira ao respeito pela presunção da inocência do internacional português do Real Madrid Cristiano Ronaldo, chamado a depor por alegada fraude fiscal.

"O que é importante, aos meus olhos, é que nenhuma pessoa é criminosa se não for condenada. É por isso que se deve aplicar o princípio da presunção de inocência em todos os domínios", afirmou Cristóbal Montoro, em conferência de imprensa, quando questionado sobre o tratamento mediático deste processo.

O avançado português foi chamado a depor no tribunal de instrução de Alarcón, em Madrid, no próximo dia 31 de julho, no âmbito da acusação do Ministério Público que diz que o futebolista português defraudou o fisco espanhol em 14,7 milhões de euros.

O futebolista português é acusado de quatro delitos contra os cofres do Estado, cometidos entre 2011 e 2014, que contabilizam uma fraude tributária de 14.768.897 euros, incorrendo numa multa superior a 28 milhões de euros e em prisão efetiva de um mínimo de sete anos.

Cristóbal Montoro lamenta que Ronaldo "já tenha sido declarado culpado publicamente", sublinhando que não respeitar a presunção de inocência "não é digno de uma sociedade moderna, de um Estado de direito - isso não faz sentido e deve haver mais equilíbrio".

Antes da convocatória do futebolista ao tribunal, o governante advertiu que os desportistas devem ser "exemplares" e "particularmente escrupulosos no cumprimento das suas obrigações fiscais", uma vez que "irradiam sobre toda a sociedade, por exemplo para os jovens e para as crianças".

Por Lusa
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
SUBSCREVA A NEWSLETTER RECORD GERAL
e receba as notícias em primeira mão

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.