Norte e Centro mais do que duplicaram casos de covid-19 em outubro

Portugal registou em outubro quase 68 mil novos contágios pelo coronavírus

covid-19 coronavirus
covid-19 coronavirus

Em outubro, Portugal registou 67.945 novas infeções pelo coronavírus, o que representa 47,1% do total de casos acumulado desde o início da pandemia, que se cifra em 144.341. Em termos dos óbitos devido à covid-19, as 567 mortes de outubro correspondem a 22,3% das 2.544 vítimas mortais acumuladas.

Se o número de novos contágios observados em outubro pulveriza o anterior máximo mensal de 18.153 casos, registado em setembro, as mortes contabilizadas no mês passado são o segundo valor mais elevado desde o início da pandemia, atrás dos 820 óbitos registados em abril.
Norte e Centro mais do que duplicam contágios
Em todas as regiões do país foram atingidos máximos mensais de novos contágios em outubro. No entanto, apenas no Norte e Centro o peso dos casos de outubro representa mais de 50% do total acumulado.

Na região Norte, os 37.574 contágios detetados em outubro representam 57,1% do total da região desde o início da pandemia. Dito de outra forma: os casos no Norte aumentaram 135% face ao registado no final de setembro.

Aliás, após quatro meses em que Lisboa e Vale do Tejo (LVT) era a região com maior número de casos, o Norte retomou a liderança a 28 de outubro e a 31 de outubro contava já com mais 4.724 infetados do que LVT.

Também no Centro o número de casos observados em outubro pesam mais de metade no total acumulado da região. Os 6.505 contágios representam 51,2% dos casos desde que foram detetados os primeiros casos no país. Isto traduz uma subida de 105%.

Em Lisboa e Vale do Tejo, contudo, os 21.112 infetados em outubro correspondem a apenas 35,1% do total acumulado. Assim, na região mais populosa de Portugal o número de casos aumentou 54%.

No Alentejo e no Algarve o crescimento dos contágios em outubro cifrou-se em 86% e 67,6%, respetivamente.

Nas regiões autónomas, os Açores apresentam um incremento de 34,5%, enquanto na Madeira a subida ascendeu a 93,9%.

Quatro meses depois, Norte foi região com mais mortes mensais
Tal como sucedeu no número de novos contágios, o Norte também voltou a ser, quatro meses depois, a região com mais óbitos registados num mês.

No mês passado, o número de falecimentos contabilizados no Norte totalizou 244, o que corresponde a 43% dos 567 óbitos em todo o país em outubro.

Em Lisboa e Vale do Tejo ocorreram 234 mortes, o equivalente a 41,3% do total nacional, enquanto no Centro os 54 óbitos representam 9,5%.

O Alentejo foi responsável por 4,6% das vítimas mortais e o Algarve registou apenas 1,6% das mortes de outubro no país. Açores e Madeira não contabilizaram nenhuma fatalidade.



Recorde de óbitos em Lisboa e Vale do Tejo e no Alentejo
Apesar de ter sido a região com mais mortes em outubro, os óbitos no Norte foram inferiores aos 483 registados em abril.

Já em Lisboa e Vale do Tejo, as 234 vítimas mortais de outubro superam o anterior máximo mensal de 164 mortes, observado em abril. 

Também o Alentejo fixou um recorde de fatalidades num mês. Os 26 óbitos de outubro naquela região quase duplicam o anterior máximo de 15 mortes, que havia sido alcançado em julho, quando ocorreu um surto num lar de idosos em Reguengos de Monsaraz.

No Centro, tal como no Norte, o número de mortes em outubro (54) ficou bem abaixo do recorde de abril, que ascendeu a 149.

No Algarve, por seu turno, os nove óbitos do mês passado são também inferiores aos 11 falecimentos contabilizados em abril.

Por Negócios
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.