Polícia detém mais de 200 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris

Manifestantes voltaram a sair hoje às ruas em França

Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris
Polícia detém mais de 300 pessoas em manifestação dos coletes amarelos em Paris

Mais de 200 pessoas foram detidas este sábado para interrogatório em Paris antes do início da manifestação dos "coletes amarelos", segundo fonte policial.

As autoridades temem o regresso dos tumultos urbanos em Paris pelo que reforçaram os controlos nas estações e realizaram buscas sistemáticas junto aos locais de concentração.

Os "coletes amarelos" voltam a sair hoje às ruas em Paris, numa ação que levou as autoridades francesas a adotarem múltiplas medidas preventivas, designadamente o reforço policial nas ruas, que envolve o desdobramento de mais de 90 mil agentes.

Metro encerrado, lojas barricadas, atrações e museus fechados e eventos desportivos cancelados. Paris é uma cidade em estado de sítio antes de mais uma jornada de protesto dos ‘coletes amarelos’, temendo-se a repetição dos motins da semana passada, quando milhares de manifestantes atacaram as forças de segurança, saquearam lojas e vandalizaram monumentos numa explosão de violência sem precedentes.

"Os protestos das últimas semanas criaram um monstro", admitiu o ministro do Interior, prometendo que a polícia "não terá qualquer tolerância" para com atos violentos.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros aconselhou os portugueses em Paris a evitarem "deslocações desnecessárias" na cidade face ao risco de violência. 

Coletes amarelos defendem que violência é a única forma de se fazerem ouvir
Centenas de "coletes amarelos" estão de volta ao centro de Paris para mais um dia de protesto e é consensual que "sem violência não se revolve nada", disseram à agência Lusa manifestantes nos Campos Elísios.

"Não vamos desistir até haver alguma modificação verdadeira e nos darem mais dinheiro. Os polícias não têm agido bem nos últimos sábados e a violência chama a violência. Custa-me, mas digo já que não vamos resolver nada sem violência", disse Pascal, "colete amarelo" vindo da Normandia à agência Lusa esta manhã nos Campos Elísios.

Mesmo assim, o ambiente esta manhã é bastante diferente do cenário dos sábados passados na principal avenida parisiense. Tal como o Ministério do Interior tinha avisado, a estratégia da polícia mudou e desde controlos aleatórios na avenida à utilização de veículos blindados na rua, as forças da ordem estão a conseguir conter os manifestantes sem utilização de gás lacrimogéneo e apenas com alguns confrontos pontuais.

Autor: Correio da Manhã




Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.