Portugal com excedente superior a 400 milhões de euros até agosto pela primeira vez

O saldo orçamental melhorou de tal forma nos primeiros oito meses do ano que as administrações públicas registam um excedente em vez de défice

Mário Centeno, Centeno,
Mário Centeno, Centeno,

Portugal registou um excedente orçamental em contabilidade pública nos primeiros oito meses de 2019. O saldo orçamental foi de 402 milhões de euros até agosto, o que compara com um défice orçamental de 580 milhões de euros no mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados pelas Finanças esta quinta-feira, 26 de setembro, em antecipação do boletim da Direção-Geral do Orçamento (DGO) que é publicado ao final da tarde.

"A execução orçamental em contabilidade pública das Administrações Públicas (AP) até agosto registou uma melhoria de 982 milhões de euros (ME) face a 2018, atingindo pela primeira vez neste período um saldo positivo de 402 milhões de euros", afirma o Ministério das Finanças no comunicado enviado às redações.

Os números são referentes ao saldo em contabilidade pública, ou seja, em ótica de caixa. Os números em contabilidade nacional é que são considerados para as metas de Bruxelas - nesta ótica de compromisso apenas existem dados para o primeiro semestre, altura em que se registou um défice de 0,8% do PIB.

Esta diferenciação é importante porque as Finanças admitem que o saldo orçamental em contabilidade pública é beneficiado por efeitos que não têm impacto no apuramento em contas nacionais na ordem dos 400 milhões de euros, ou seja, exatamente o montante do excedente. 

O equilíbrio das contas públicas continua a ser conseguido com o ritmo de crescimento da receita superior ao da despesa. O Ministério das Finanças escreve que "esta melhoria do saldo foi o resultado de um crescimento da receita de 4,6% e da despesa de 2,7%".

Apesar de os números apontarem eventualmente para um saldo orçamental em contabilidade nacional abaixo da meta anual do Governo (0,2% do PIB), Mário Centeno rejeitou rever a previsão feita pelo Executivo. "Eu não pretendo fazer nenhuma revisão", disse, citado pela Lusa, em reação aos dados do primeiro semestre.

Por Negócios
Deixe o seu comentário

Últimas Notícias

Notícias
Subscreva a newsletter

e receba as noticias em primeira mão

ver exemplo

Ultimas de Fora de Campo

Notícias

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media S.A. Consulte a Política de Privacidade Cofina.

0